Primeiro lote do novo contrato com a Pfizer

País recebeu 1,9 milhão de doses na madrugada deste sábado. Até dezembro, serão mais 98 milhões. Elas foram produzidas em fábrica nos EUA e na Bélgica. Anvisa prorroga validade do imunizante da Janssen

» Vera Batista » Cristiane Noberto
postado em 09/10/2021 23:25
 (crédito: John Thys/AFP - 23/4/21)
(crédito: John Thys/AFP - 23/4/21)

O primeiro lote de vacinas contra a covid-19 do segundo contrato com a farmacêutica Pfizer chegou ao Brasil ontem. São 1,989 milhão de doses do imunizante ComiRNAty, vindo de Amsterdam, na Holanda, segundo o laboratório. “Pousou no aeroporto de Viracopos (Campinas-SP), por volta das 4h50 deste sábado. A previsão é que sejam entregues 100 milhões de doses do imunizante entre outubro e dezembro. A carga foi despachada para o centro de distribuição do Ministério da Saúde, em Guarulhos (SP), por volta das 9h50”, destaca a empresa.

As doses serão encaminhadas aos mais de 38 mil postos de vacinação do país. De acordo com a Pfizer, até o fim de 2021, no total, o Brasil receberá 200 milhões de doses, como resultado de dois contratos assinados com o país. No primeiro, fechado com o Ministério da Saúde em março, chegaram 100 milhões de doses, até o último mês de setembro. O segundo foi firmado em 14 de maio. As doses enviadas ao Brasil foram produzidas em duas fábricas nos Estados Unidos, Kalamazoo e McPherson, além de uma fábrica na Europa, Purrs, na Bélgica.

A logística de entrega das doses ao governo federal tem o apoio da Receita Federal, Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal. Ainda no terminal de Viracopos, equipes da Receita iniciam o desembarque sobre nuvens, que permite a antecipação da conferência e liberação da carga — o processo entre a abertura da porta de carga do avião e liberação do caminhão ocorre em até 20 minutos. Após a liberação em Viracopos, equipes escoltam o transporte rodoviário das doses até Guarulhos (SP).

Janssen
Apesar de ter registro apenas para uso emergencial no Brasil, a vacina de dose única da Janssen ganhou maior prazo de validade. A Anvisa ampliou de quatro meses e meio para seis meses a validade para os imunizantes que estejam armazenados entre 2°C e 8°C. A extensão foi aprovada por unanimidade no conselho da agência. Somente este imunizante de dose única é aprovado no Brasil com licença de emergência e está autorizado para uso desde 31 de março no país.

A relatora e diretora de medicamentos da Anvisa, Meiruze Sousa Freitas, afirmou que, até o momento, a vacina da Janssen contra a covid-19 atende às expectativas para a ampliação do prazo de validade no uso emergencial. Contudo, a relatora afirma que a extensão está condicionada ao compromisso da empresa em atualizar os bancos de dados da reguladora. “Com a ampliação, fomentaremos o acesso a mais uma vacina para o portfólio de ferramentas médicas de combate a essa pandemia, mantendo nosso inabalável compromisso com a saúde pública”, escreveu a diretora.

CoronaVac
O Instituto Butantan afirmou que enviou à Anvisa em 20 de novembro de 2020 parte da documentação necessária para oficializar o pedido de registro definitivo da CoronaVac. A entidade detalhou ainda que foi o primeiro instituto brasileiro a firmar parceria internacional para disponibilizar um imunizante eficaz e seguro no Brasil e, a partir daí, o diálogo com a agência reguladora foi constante.

Em nota, a instituição apontou que, a partir do envio da primeira parte dos dados de imunogenicidade da CoronaVac no ano passado, “iniciou-se a discussão sobre as metodologias utilizadas, o que fez com que houvesse atraso nos resultados dos testes de imunogenicidade. Se houvesse tido consenso nos métodos propostos pelo instituto, o processo já estaria concluído e o registro definitivo do imunizante já teria sido concedido”.

Anteriormente, a Anvisa informou que não concede registro de vacina por iniciativa própria. Segundo a entidade, é papel do laboratório fazer o pedido de regulação definitiva. Segundo a agência, o Butantan não enviou documentação e por isso não há análise de registro em andamento.

Mais 870 mil são vacinados

O número de brasileiros com esquema vacinal completo com duas doses ou com o imunizante de aplicação única contra a covid-19 chegou a 98.831.064 neste sábado. Foram registradas 968.839 aplicações nas últimas 24 horas. Com a vacinação seguindo no Brasil, 149,5 milhões de pessoas estão parcialmente imunizadas, ou seja, receberam pelo menos uma dose. Em relação ao total da população, este número equivale a 70,07%. As primeiras doses foram aplicadas em 299 mil pessoas. Por outro lado, foram 571.209 com a 2ª aplicação da vacina. Os imunizantes de dose única foram aplicados em 1.320 pessoas. Já as doses de reforço foram administradas em 97.221. Os dados são do consórcio de veículos de imprensa, em parceria com 27 secretarias de Saúde.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE