PIEDADE DE CARATINGA

Morador diz ter visto avião de Marília Mendonça 'girar' no ar e perder peça

Residente de condomínio que abriga cachoeira, palco do acidente, relatou o que viu momentos antes da tragédia; Polícia Civil rebate e prega cautela

Guilherme Peixoto - Estado de Minas
Luiz Ribeiro - Estado de Minas
postado em 05/11/2021 22:33 / atualizado em 05/11/2021 23:56
Além da artista, o avião tinha quatro outros tripulantes - o piloto, o copiloto, um assessor e o produtor da cantora -  (crédito:  -)
Além da artista, o avião tinha quatro outros tripulantes - o piloto, o copiloto, um assessor e o produtor da cantora - (crédito: -)

Antes de cair em uma cachoeira na zona rural de Piedade de Caratinga, no Vale do Rio Doce, o avião da cantora Marília Mendonça sofreu uma avaria. O curso d'água que foi palco do acidente, ocorrido nesta sexta-feira (5/11), fica em um condomínio fechado da cidade. Ao Estado de Minas, um morador do conjunto de casas, que não quis se identificar, contou ter visto uma peça da aeronave se desprender da estrutura ainda no ar..

  • Onde foi o acidente
    Onde foi o acidente Soraia Piva/Artes EM/D.A Press
  • Distância entre a cachoeira e a BR-474
    Distância entre a cachoeira e a BR-474 Reprodução/Imagem de Satélite
  • Avião de Marília Mendonça
    Avião de Marília Mendonça Soraia Piva/Artes EM/D.A Press

Além da artista, o avião tinha quatro outros tripulantes - o piloto, o copiloto, um assessor e o produtor da cantora.

"Primeiro, soltou uma peça do avião, que caiu perto da casa de um morador do condomínio. Em seguida, o avião começou a girar no ar em formato de parafuso. Bateu de bico na cachoeira. Ouvi um grande estrondo", contou o morador. Segundo ele, o barulho da queda foi "parecido com o de uma forte batida de carro".

No conjunto de residências, batizado de Condomínio da Cachoeira, vivem cerca de 30 famílias. O avião de Marília estava a poucos quilômetros do Aeroporto de Ubaporanga, onde descem pessoas que querem se dirigir a localidades no entorno de Caratinga.

O piloto já se preparava para o pouso e a altitude vinha diminuindo. A baixa altura chegou a assustar quem estava na região. Em meio aos relatos, a Polícia Civil prega cautela por causa, sobretudo, da emoção que a tragédia proporcionou aos habitantes da região.

O acidente foi narrado, também, pelo vendedor Lucas Vieira Araújo, de 20 anos, que mora em uma das residências do conjunto. "Eu não estava no local no horário do acidente, mas os moradores ouviram um forte estrondo e viram quando o avião caiu na cachoeira", afirma Lucas.

Ícone da música sertaneja, Marília, de 26 anos, se deslocava rumo a um fim de semana de shows no interior mineiro. Nesta sexta, a "Patroa", como era carinhosamente chamada pelos fãs, faria um show em Caratinga. Estavam agendadas, para os próximos dias, apresentações em Ouro Branco, Divinópolis e Taiobeiras.

Outra residente do local, também sob anonimato, contou à reportagem que, além do estrondo, houve temor por explosão em virtude do impacto causado pela queda. Ela endossou a versão de que a aeronave deu "rodopios" no céu antes de despencar.

Na área, que fica na zona rural de Piedade de Caratinga, há outro condomínio e um hotel fazenda.

Cidade abalada

O vendedor Lucas estava se programando para ver de perto a cantoria de Marília. "É muito triste isso. As pessoas da cidade ainda estão sem reação", lamenta. "Na loja em que trabalho, muitas pessoas se dedicaram a comprar uma roupa para ir ao show".

O avião, de prefixo PT-ONJ, pertence à PEC Táxi Aéreo, sediada em Goiânia. Trata-se de um King Air C90A, com capacidade para seis passageiros. A aeronave, que é turboélice, foi fabricada em 1984 e tinha autorização para operar em regime de fretamento, segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE