Ex-ministros veem exame sob ameaça

Correio Braziliense
postado em 22/11/2021 00:01
 (crédito: ED ALVES/CB/D.A.Press)
(crédito: ED ALVES/CB/D.A.Press)

Em carta aberta, ex-ministros da Educação criticaram a gestão do Inep e afirmaram que o Enem está sob ameaça. Eles apontam que a instituição vive uma crise aguda e reiteraram preocupação com o futuro do exame.

"Nos quase 85 anos de existência jamais vimos na instituição uma crise tão profunda, ainda mais às portas da realização do mais importante instrumento de acesso ao ensino superior, que é o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem)", diz um trecho do documento.

A carta é assinada pelos ex-ministros da Educação Tarso Genro; Fernando Haddad; Aloizio Mercadante; Renato Janine Ribeiro; Mendonça Filho; e Rossieli Soares. "Lamentamos tomar conhecimento de relatos de assédio e interferência política veiculados na mídia, decorrentes da atuação do quinto presidente do Instituto nos últimos três anos e sua equipe."

"Diante do exposto, defendemos a adoção de medidas definitivas e estruturantes para solucionar os problemas crônicos enfrentados pela autarquia nesta gestão e a grave crise do momento atual", finalizaram os ex-ministros.

Diante da crise, a Associação de Servidores do Inep (Assinep) reuniu em um documento de 36 páginas denúncias de assédio moral e interferência ideológica no Inep. O dossiê foi encaminhado a oito órgãos e instâncias: Comissão de Educação da Câmara dos Deputados; Comissão de Educação, Cultura e Esportes do Senado Federal; Frente Parlamentar Mista da Educação; Frente Servir Brasil; Tribunal de Contas da União; Controladoria-Geral da União; Ouvidoria do Inep; e Comissão de Ética do Inep.

Entre as denúncias, os servidores relatam "possível intervenção e risco ao sigilo" na prova do Enem 2021. Eles também afirmaram que "o Inep vive uma crise política sem precedentes, com perseguição, assédio moral, uso político-ideológico da instituição pelo MEC e falta de comando técnico no planejamento dos seus principais exames, avaliações e censos". Os funcionários também denunciam o clima de "insegurança e medo" no Inep, gerado pela gestão do atual presidente, Danilo Dupas.

Protesto

No Rio de Janeiro, ontem, estudantes que integram o coletivo Juntos.org.br fizeram um protesto, em meio à circulação de candidatos que fariam a prova do Enem na sede da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj). Os ativistas estenderam uma faixa com os dizeres "Pelo direito de estudar" e "Contra a censura e o desmonte do Enem", em referência às denúncias sobre interferências do governo federal na organização e confecção da prova.(LP)

Leia mais na página 13

Tags

CONTINUE LENDO SOBRE