Vacinação contra covid-19

SP reserva 12 milhões de doses da CoronaVac para crianças de 3 a 11 anos

Vacina ainda não possui autorização da Anvisa para ser aplicada nesta faixa etária, mas Instituto Butantan irá apresentar à agência nova solicitação. Em agosto, Anvisa rejeitou pedido da instituição paulista

Maria Eduarda Cardim
postado em 08/12/2021 13:39 / atualizado em 08/12/2021 14:43
 (crédito: Rodrigo Buendia/AFP )
(crédito: Rodrigo Buendia/AFP )

O governo do estado de São Paulo anunciou, nesta quarta-feira (8/12), que reservou 12 milhões de doses da vacina CoronaVac com o objetivo de aplicar o imunizante em crianças de 3 a 11 anos. Apesar de o governo já ter feito a reserva das doses, a CoronaVac não possui autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para que o imunizante seja aplicado neste público.

Diante disso, o Instituto Butantan, produtor da vacina no Brasil, irá apresentar à agência reguladora nova solicitação. A entrega da documentação à Anvisa deve acontecer na próxima semana. Em agosto, a Diretoria Colegiada da agência, por unanimidade, considerou que ainda não era seguro aprovar o uso da vacina neste grupo formado por crianças a partir de 3 anos até adolescentes com 17 anos. 

Na época, os diretores consideraram que os dados clínicos de segurança apresentados foram considerados insuficientes, principalmente devido ao tamanho amostral dos estudos apresentados para suporte a esta solicitação de ampliação de uso da CoronaVac.

"Agora, um segundo pedido, acompanhado dos estudos feitos pela Sinovac, laboratório chinês que produz a CoronaVac, será feito. Lembrando que ela já é aplicada em crianças de 3 a 11 anos nos seguintes países: China, Filipinas, Malásia, Chile e no Equador", indicou o governador de São Paulo, João Doria. “Com isso, o Instituto Butantan entende que é hora de iniciar a vacinação de crianças no Brasil. E a Coronavac mostra-se eficaz, segura e adequada para a vacinação de crianças”, completou.

Segundo o governo paulista, os 12 milhões de doses reservados serão suficientes para imunizar todos os 5,1 milhões de crianças de 3 a 11 anos do estado de São Paulo. "O excedente deve ser negociado pelo Instituto Butantan com outros países, estados e municípios do Brasil", informou a nota do governo. 

O diretor do Butantan, Dimas Covas, defendeu que a aprovação da aplicação da CoronaVac em crianças seja feita pela Anvisa. "Estamos preparando o segundo dossiê para a Anvisa, solicitando essa autorização, e esperamos que a Anvisa nos atenda neste pleito, que é necessário para o Brasil”, disse.

Pfizer

Neste momento, apenas crianças a partir de 12 anos podem receber a vacina contra a covid-19 da Pfizer, a única que possui autorização para esta faixa etária no Brasil. A Anvisa também avalia uma solicitação da Pfizer para incluir a faixa etária de 5 a 11 anos na indicação da sua vacina. O pedido foi feito em 12 de novembro.

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE