Chuvas

Sobe para 37 o número de trechos de estradas danificadas pelas chuvas na Bahia

Alguns ainda não foram notificados pela Secretaria de Infraestrutura

Tainá Andrade
postado em 28/12/2021 09:29
 (crédito: Arquivo pessoal)
(crédito: Arquivo pessoal)

Aumentaram para 37 os trechos em rodovias estaduais e federais da Bahia que foram prejudicados com as intensas chuvas do mês. Ontem (27), a Secretaria de Infraestrutura (Seinfra) registou mais seis ocorrências na BA-542, do Vale do Jiquiriça, na BA-545, Litoral Sul, no acesso a Floresta Azul, na BA-001, no Oeste, na BA-172, na Sudoeste e na BA-634. Até o momento, o boletim ainda não foi atualizado.

Para quem viaja de Brasília em direção ao Litoral Sul da Bahia, uma cratera entre São Felix e Bom Jesus da Lapa fez com que os motoristas desviassem da BR-349 para a BR-242. Jivá foi a cidade que serviu como caminho alternativo aos turistas.

“Temos que parar a todo tempo em postos e nos informar com os outros motoristas. As estradas estão mudando a todo momento, corre o risco de seguirmos por um caminho e ele não está bom. A forma de nos prevenir é se informando com quem pegou o mesmo trajeto”, explicou Lucas Rodrigues, brasiliense que está indo em direção a Ilhéus para passar o fim do ano.

Um dos trechos mais críticos, na região da Serra do Marçal – entre Vitória da Conquista e Itambé, uma das principais passagens para o Litoral Sul -, no qual houve deslizamento de terra na madrugada do Natal, a via já foi limpa e o trânsito foi liberado em meia pista ontem.

Férias frustradas

Leandro Godois, 39 anos, comerciante, mora em Brasília. Dia 21 de dezembro foi passar férias com a família em Itacaré. De acordo com ele, foram dois dias de sol para três de chuvas ininterruptas. Ao final, para conseguirem sair da cidade, tiveram que pegar um desvio de 50 km de estrada de terra – trecho da BA-654, que liga Taboquinhas a Itacaré, está bloqueada desde a noite de Natal.

“Muito buraco e atoleiro. Podemos até ficar prejudicados e presos numa lama. O carro é baixo, pegamos o início da chuva na estrada. Agora mesmo me falaram que quem está passando por lá tem ficado atolado, não tem passado mais. Tivemos a pequena sorte de passar antes”, disse.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE