Educação

Ministério atualiza o Enem

MARIA EDUARDA CARDIM MARIANA ALBUQUERQUE*
postado em 18/03/2022 00:01
 (crédito:  Valter Campanato/Agência Brasil)
(crédito: Valter Campanato/Agência Brasil)

O Ministério da Educação anunciou, ontem, as mudanças que serão realizadas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir de 2024. O novo teste valorizará mais as questões discursivas e permitirá que o estudante escolha qual prova fará das quatro áreas de interesse que estarão disponíveis. A ideia é promover uma atualização do certame e adequá-lo aos avanços da educação.

"Com a implementação do novo ensino médio, iniciado em 2022, nossos estudantes estão experimentando um processo educacional mais atualizado com as demandas do mundo do trabalho. O ensino médio mudou e o Enem também precisa se atualizar. Queremos que todos os estudantes tenham uma formação geral básica robusta, com ênfase em língua portuguesa e matemática", explicou o ministro da Educação, Milton Ribeiro.

O modelo atual, que divide o exame em duas etapas, com uma prova por dia, será mantido, e haverá atualizações no formato de correção. O primeiro dia de testes será igual para todos os estudantes, com questões de português e matemática, além da redação.

Mas é no segundo dia do Enem que está a primeira grande alteração: ao candidato será facultada a escolha da prova que fará, com base no curso superior que tem interesse, de quatro grupos de questões: 1) linguagens, ciências humanas e sociais aplicadas; 2) matemática, ciências da natureza e suas tecnologias; 3) matemática, ciências humanas e sociais aplicadas; e 4) ciências da natureza, ciências humanas e sociais aplicadas.

Questões abertas

Outra mudança é a presença de questões abertas e discursivas nas provas, que, hoje, são objetivas por serem no formato de múltipla escolha. Além disso, pelas novas normas, a avaliação do domínio do inglês ocorrerá de forma integrada com a área de linguagens e suas tecnologias.

"Pode ter uma questão de história com o texto escrito em língua inglesa para o estudante avaliar", exemplificou o secretário de Educação Básica do Ministério da Educação (MEC), Mauro Rabelo.

O novo Enem promoverá, ainda, a transição gradual para as provas digitais, embora os testes em cadernos de papel continuem sendo oferecidos até que seja garantido o acesso tecnológico a todos os participantes. O exame avançará na utilização de novas tecnologias na elaboração de perguntas e para agilizar a correção das provas, de forma a acelerar a divulgação dos resultados.

O MEC criará, também, o Comitê de Governança do Enem — que pretende garantir "previsibilidade, transparência e aperfeiçoamento" do exame.

* Estagiária sob a supervisão
de Fabio Grecchi

Tags

CONTINUE LENDO SOBRE