Dependência elevada

Correio Braziliense
postado em 28/03/2022 00:01

Dados divulgados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), mostram que as culturas que mais demandam o uso de fertilizantes são a soja, o milho e a cana-de-açúcar, que somam cerca de 73% do consumo nacional. Nesse sentido, torna-se arriscado depender de outros países, devido à instabilidade na conjuntura internacional provocada pela guerra no Leste Europeu.

Em busca de uma solução para esse problema, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, reuniu-se com representantes de empresas de fertilizantes do Canadá, no último dia 14. O Canadá é um dos maiores produtores de fertilizantes do mundo. No caso do potássio — uma das principais insumos — , é o maior produtor global.

O debate principal foi do atual momento por qual passa o setor, com a redução das exportações dos insumos vindos da Rússia e da Belarus. Por meio de contratos diretos entre empresas privadas dos dois países, está previsto um aumento de importação de fertilizantes em 400 mil toneladas, de acordo com apuração do jornal O Estado de São Paulo.

Oportunidade

Na semana passada, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, avaliou que essa crise internacional gerada pela guerra no Leste Europeu após a invasão da Ucrânia pela Rússia, no mês passado, pode ser uma grande oportunidade para o Brasil.

"O Brasil não se inseriu nas cadeias globais de valor durante grande parte do período de especialização, e temos agora oportunidade com a redivisão das cadeias globais para estarmos muito mais presentes. Há uma oportunidade secular para o Brasil, se tiver as políticas certas, para entrar nas cadeias globais de valor. O que está acontecendo no mundo é grande oportunidade para o Brasil", disse o presidente da autoridade monetária, em evento do Tribunal de Contas da União (TCU). (GC)

Tags

CONTINUE LENDO SOBRE