Violência

Assalto a joalheria causa pânico em shopping de BH

Estado de Minas
postado em 08/05/2022 00:01

Uma joalheria localizada no BH Shopping, no Bairro Belvedere, Região Centro-Sul de Belo Horizonte, foi assaltada na tardem de ontem. Os criminosos levaram grande quantidade de joias e relógios da loja e fizeram um segurança como refém.

Os bandidos usavam camisas dos times Cruzeiro e Atlético. Após renderem os funcionários da joalheria, eles roubaram vários relógios da marca Rolex, considerado um dos mais caros do mundo.

Lojas do shopping fecharam as portas para proteger clientes. De acordo com fontes ouvidas pelo Estado de Minas, a situação gerou pânico entre os clientes do shopping e vendedores tentaram acalmar os consumidores.

Trabalhadores de dois estabelecimentos que funcionam perto da joalheria dizem ter visto homens martelando a vitrine que fica no centro da loja de acessórios. A quebra dos vidros teria ocorrido a fim de facilitar a execução do roubo. "Eles martelavam a vitrine e arrancavam as joias", disse uma testemunha, sob anonimato, ao Estado de Minas.

O jornalista Matheus Adler fazia compras em um supermercado quando foi surpreendido pela movimentação causada pelo assalto. Segundo ele, os estampidos dos tiros fizeram com que clientes fossem se esconder nos fundos do supermercado, onde há um açougue.

"Não sabemos nada do que acontece lá fora. A porta ficou fechada", disse, à reportagem. "Estava nos fundos da loja e vi gente correndo, gritando e chorando. Houve gente passando mal", completou.

Sob anonimato, outra pessoa presente no shopping conta que almoçava quando tomou ciência do caso. "Estamos presos dentro do restaurante com as portas baixadas. Não podemos nos movimentar", relatou. As portas, de acordo com ela, foram baixadas pela primeira vez quando os assaltantes armados invadiram a joalheira. "Na sequência, eles fugiram com refém e as portas subiram. Mas eles não saíram do shopping: voltaram e começou, novamente, a gritaria."

Matheus Adler afirmou que, nesse momento, já havia pessoas tentando retomar a normalidade e escolhendo produtos na prateleira do mercado. As portas do mercado foram reabertas por volta das 14h45.

Gabriel Ribeiro, autônomo de 21 anos, almoçava com amigos quando precisou correr em busca de abrigo. "Do nada, houve um barulho muito alto na Praça de Alimentação. Saímos correndo junto com todo mundo. Acessamos o carro e tentamos sair pela entrada [próxima ao] hotel Caesar, mas a polícia barrou a saída", contou.

Segundo ele, a ordem da Polícia Militar foi deixar o centro de compras a pé. "Estávamos dentro do carro para sair, mas a polícia não deixou. Mandaram a gente abandonar o carro, trancá-lo e sair a pé", pontuou. Quem conseguiu sair a bordo de um automóvel, precisou ter o veículo revistado. Os policiais verificavam se havia fugitivos nos porta-malas.

Tags

CONTINUE LENDO SOBRE