Amizade além do tempo

O afeto que une duas amigas venceu desafios impostos ao longo de mais de 60 anos. O segredo? Companheirismo e respeito

Edis Henrique Peres
postado em 21/04/2022 00:01
 (crédito:  Carlos Vieira/CB/D.A Press)
(crédito: Carlos Vieira/CB/D.A Press)

Uma amizade que viu Brasília nascer e que esteve presente nos momentos mais alegres e nos mais solitários e desesperançosos uma da outra. Assim se define o vínculo de quase 62 anos entre Vera Hildebrand Pires da Cunha, 75 anos, e Kátia Abudakir Kouzak, 76. As duas se conheceram na adolescência, quando chegaram à capital do país, inaugurada no mesmo ano. Desde então, o laço segue firme e inquebrantável entre as duas amigas, que são "praticamente irmãs". Religiosamente, aos domingos, Vera deixa sua casa na Asa Norte, passa na padaria, e vai para o Lago Sul, visitar Kátia.

"Chamamos de café da manhã da Vera", conta Kátia, aos risos, sobre o banquete que a amiga traz da panificadora. Na mesa de varanda, elas montam a refeição e batem papo. O hábito de compartilhar lanches entre as duas é antigo, e vem ainda da juventude, na época em que estudavam juntas na Comissão de Administração do Sistema Educacional de Brasília (Caseb). "A gente comia a mesma coisa no intervalo: um sonho e um Grapette (refrigerante de uva)", lembra Kátia. "Esse era o nosso lanche das 10h", acrescenta.

Vera foi a primeira das duas a chegar em Brasília. "Dia 13 de abril de 1960, tinha 13 anos, era uma quarta-feira, quando vim para cá. Fiquei encantada, porque Brasília estava lotada de barraquinhas de acampamento", conta. Já Kátia chegou dois meses depois, em 12 de julho do mesmo ano. "Na época morávamos na SQS 107, uma no Bloco A e outra no Bloco D. E íamos juntas para o colégio. A amizade começou porque estudávamos na mesma sala", diz Vera.

Para as duas amigas, as lembranças ainda são vívidas e enquanto relatam as memórias, elas sorriem com o revisitar dos dias de infância. "Aproveitamos muito a nossa juventude", salienta Vera, que recorda do tratamento que realizou no hospital Sarah Kubitschek. "Como nasci com paralisia cerebral, eu fiz acompanhamento por muitos anos no hospital, comecei por volta dos 14 e segui até uns 20 anos, ia cerca de três vezes por semana", conta.

Kátia revela que acompanhava a amiga nessas consultas até que foi proibida. "Brincava tanto (no hospital), assanhava os velhinhos, jogava peteca e fazia de tudo. Até que fui proibida de ir", conta, entre risos. "A Vera chegou para mim nesse dia toda triste, dizendo: oh, Kátia, a direção não quer que você vá mais não", diz.

O que mantém o laço até os dias de hoje, é a "amizade pura". "Geralmente as pessoas têm algum interesse, quer alguma coisa. Mas a nossa amizade dura tanto tempo, porque ela é constante. E na hora que a gente precisar, sabemos que podemos contar uma com a outra", ressalta Vera. Kátia acrescenta que as duas buscam simplesmente a companhia uma da outra, pois é isso que as fazem bem.

Amor e admiração

Ao longo das seis décadas de companheirismo entre Kátia e Vera, as duas passaram por momentos marcantes. Mesmo em cursos de graduação diferentes, Kátia estudando ciências contábeis, e Vera, psicologia, o vínculo se manteve. Kátia garante que a união entre as duas vem de um pacto de muito amor e admiração. "Não temos o mesmo sangue, mas somos que nem irmãs. E olha que somos bem diferentes na personalidade", diz.

No espírito de companheirismo, quando Kátia estava no hospital para ganhar o primeiro filho, Vera foi chamada, de madrugada, para acompanhar a amiga. "Eu era muito jovem, tinha 25 anos, era o meu primeiro filho, me sentia despreparada. Estava assustada e a Vera era a pessoa que eu queria do meu lado para me acolher, porque eu estava perdida", detalha. Vera não só acompanhou o parto de Kátia como é madrinha do filho dela, Solon Kouzak.

Mas além dos momentos de alegria, as duas são um suporte nos desafios e dificuldades. Kátia lembra que quando o marido ficou muito doente, Vera ia ao hospital visitá-la. "Meu esposo ficou um ano e quatro meses muito debilitado. Nesses grandes momentos, nas coisas que mudaram a nossa vida, ela (Vera) estava do meu lado. Quando meu marido estava doente e depois quando ele partiu eu enfrentei todo tipo de problema, com sócio e doença — fiquei cardíaca —, e foi a Vera que me apoiou", se emociona Kátia.

Vera também enfrentou a perda do esposo e conseguiu superar o luto graças a ajuda da amiga. "Meu marido teve câncer de pulmão, ficou três meses muito ruim e depois partiu. Agora faz quatro anos, o tempo passa muito rápido. Quando ele foi embora, foi a Kátia que me lembrava que a vida não acabou, que ele não ia querer que a minha vida parasse. Em razão disso, a gente ficou mais unida. Foram esses momentos, os essenciais e que fizeram toda a diferença", avalia Vera.

 

"Eu vi Brasília nascer"

 

Para Kátia, foi "puro destino" que viesse para a capital e encontrasse aqui uma amizade de uma vida. "Meu tio era militar da Aeronáutica e eu queria estudar na capital federal. Sou paulista e primeiro fui morar no Rio de Janeiro, que era a capital do país, com os meus tios. Depois, meu tio foi transferido para Brasília e eu vim com eles, como meus tutores", afirma.

Já Vera veio do Rio de Janeiro, porque o pai era da Fundação Educacional e foi o responsável por trazer os professores do país e criar o modelo de ensino da capital. "Quando eu cheguei, Brasília estava cheia de barraquinhas e todo mundo tinha no carro um adesivo escrito 'Eu vi Brasília nascer'. Nas noites de sábado, a gente descia para baixo dos prédios com violão e vitrolas e ficava cantando e dançando. Lembro até hoje, da festa da inauguração (da cidade), que me marcou muito, em que fizeram uma dança ao lado das conchas (do Senado e da Câmara) e soltaram tecidos que chegavam quase até embaixo. Eu me lembro muito disso", afirma. Vera arremata: "Na próxima encarnação, já pedi para nascer aqui, em Brasília".

 

  •  C06/04/2022. Crédito: Carlos Vieira/CB/D.A Press. Brasil. Brasilia - DF. Cidades. 

Caderno de aniversário de Brasília.

Vizinhas há muitos anos

Kátia Kouzak (azul) eVera Hildebrand
    C06/04/2022. Crédito: Carlos Vieira/CB/D.A Press. Brasil. Brasilia - DF. Cidades. Caderno de aniversário de Brasília. Vizinhas há muitos anos Kátia Kouzak (azul) eVera Hildebrand Foto: Carlos Vieira/CB
  •  C06/04/2022. Crédito: Carlos Vieira/CB/D.A Press. Brasil. Brasilia - DF. Cidades. 

Caderno de aniversário de Brasília.

Vizinhas há muitos anos

Kátia Kouzak (azul) eVera Hildebrand
    C06/04/2022. Crédito: Carlos Vieira/CB/D.A Press. Brasil. Brasilia - DF. Cidades. Caderno de aniversário de Brasília. Vizinhas há muitos anos Kátia Kouzak (azul) eVera Hildebrand Foto: Carlos Vieira/CB
  •  06/04/2022. Cr..dito: Carlos Vieira/CB/D.A Press. Brasil. Brasilia - DF. Cidades. ..Caderno de anivers..rio de Bras..lia...Vizinhas h.. muitos anos..K..tia Kouzak (azul) eVera Hildebrand..
    06/04/2022. Cr..dito: Carlos Vieira/CB/D.A Press. Brasil. Brasilia - DF. Cidades. ..Caderno de anivers..rio de Bras..lia...Vizinhas h.. muitos anos..K..tia Kouzak (azul) eVera Hildebrand.. Foto: Carlos Vieira/CB
  • 06/04/2022. Crédito: Carlos Vieira/CB/D.A Press. Brasil. Brasilia - DF. Cidades. 

Caderno de aniversário de Brasília.

Vizinhas há muitos anos

Kátia Kouzak (azul) eVera Hildebrand
    06/04/2022. Crédito: Carlos Vieira/CB/D.A Press. Brasil. Brasilia - DF. Cidades. Caderno de aniversário de Brasília. Vizinhas há muitos anos Kátia Kouzak (azul) eVera Hildebrand Foto: Carlos Vieira/CB
  • 06/04/2022. Crédito: Carlos Vieira/CB/D.A Press. Brasil. Brasilia - DF. Cidades. 

Caderno de aniversário de Brasília.

Vizinhas há muitos anos

Kátia Kouzak (azul) eVera Hildebrand
    06/04/2022. Crédito: Carlos Vieira/CB/D.A Press. Brasil. Brasilia - DF. Cidades. Caderno de aniversário de Brasília. Vizinhas há muitos anos Kátia Kouzak (azul) eVera Hildebrand Foto: Carlos Vieira/CB
  •  C06/04/2022. Crédito: Carlos Vieira/CB/D.A Press. Brasil. Brasilia - DF. Cidades. 

Caderno de aniversário de Brasília.

Vizinhas há muitos anos

Kátia Kouzak (azul) eVera Hildebrand
    C06/04/2022. Crédito: Carlos Vieira/CB/D.A Press. Brasil. Brasilia - DF. Cidades. Caderno de aniversário de Brasília. Vizinhas há muitos anos Kátia Kouzak (azul) eVera Hildebrand Foto: Carlos Vieira/CB
  •  06/04/2022. Crédito: Carlos Vieira/CB/D.A Press. Brasil. Brasilia - DF. Cidades. 

Caderno de aniversário de Brasília.

Vizinhas há muitos anos

Kátia Kouzak (azul) eVera Hildebrand
    06/04/2022. Crédito: Carlos Vieira/CB/D.A Press. Brasil. Brasilia - DF. Cidades. Caderno de aniversário de Brasília. Vizinhas há muitos anos Kátia Kouzak (azul) eVera Hildebrand Foto: Carlos Vieira/CB
  •  C06/04/2022. Crédito: Carlos Vieira/CB/D.A Press. Brasil. Brasilia - DF. Cidades. 

Caderno de aniversário de Brasília.

Vizinhas há muitos anos

Kátia Kouzak (azul) eVera Hildebrand
    C06/04/2022. Crédito: Carlos Vieira/CB/D.A Press. Brasil. Brasilia - DF. Cidades. Caderno de aniversário de Brasília. Vizinhas há muitos anos Kátia Kouzak (azul) eVera Hildebrand Foto: Carlos Vieira/CB
  • 06/04/2022. Crédito: Carlos Vieira/CB/D.A Press. Brasil. Brasilia - DF. Cidades. 

Caderno de aniversário de Brasília.

Vizinhas há muitos anos

Kátia Kouzak (azul) eVera Hildebrand
    06/04/2022. Crédito: Carlos Vieira/CB/D.A Press. Brasil. Brasilia - DF. Cidades. Caderno de aniversário de Brasília. Vizinhas há muitos anos Kátia Kouzak (azul) eVera Hildebrand Foto: Carlos Vieira/CB
  •  06/04/2022. Crédito: Carlos Vieira/CB/D.A Press. Brasil. Brasilia - DF. Cidades. 

Caderno de aniversário de Brasília.

Vizinhas há muitos anos

Kátia Kouzak (azul) eVera Hildebrand
    06/04/2022. Crédito: Carlos Vieira/CB/D.A Press. Brasil. Brasilia - DF. Cidades. Caderno de aniversário de Brasília. Vizinhas há muitos anos Kátia Kouzak (azul) eVera Hildebrand Foto: Carlos Vieira/CB
  • Amigas há mais de 60 anos, Kátia e Vera chegaram no ano de inauguração de Brasília. Inseparáveis, as duas seguem rotina de encontros semanais
    Amigas há mais de 60 anos, Kátia e Vera chegaram no ano de inauguração de Brasília. Inseparáveis, as duas seguem rotina de encontros semanais Foto: Arquivo Pessoal
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE