Crônica da Cidade

Como às sextas-feiras

Mariana Niederauer
postado em 09/08/2020 23:30

 

As sextas-feiras têm algo de especial. Mesmo quando o dia seguinte não necessariamente trará o descanso merecido de um fim de semana, a sensação de “sextou” costuma tomar conta. É dia de deixar o fogão para escanteio e encomendar a comida preferida. Servir uma taça de vinho e assistir à live do Caetano.

A cronista das segundas-feiras se perdeu, deve estar pensando o leitor. E, talvez, tenha razão. Mas tente embarcar por alguns minutos nesse raciocínio.
A segunda-feira é um dia pouco valorizado. Fica aquela sensação de que estamos a uma eternidade de chegar finalmente ao sábado. Os profissionais que dão plantões aos fins de semana, no entanto, sabem bem valorizar uma folga nesse dia. E aí a sensação de pesar pelo recomeço da rotina é transferida para a terça-feira.

A aparente monotonia na rotina dos tais dias úteis é o que nos ajuda a caminhar pela semana sem se perder em meio aos afazeres básicos, do trabalho, da casa, do cuidado pessoal. Criar outro ser ajuda a perceber isso. Ter horário para comer, cochilar, brincar e dormir garante que você, o adulto, não se esqueça de prover nada do que a criança precisa para crescer com saúde.
Mas, o que há de especial nas sextas? Não é sequer o último dia da semana, muito menos o primeiro. Mesmo assim, aquelas horas finais que antecedem o sábado ganham esse contorno especial.

O ar de celebração em torno do dia da semana, inclusive, não parece ser exclusivo da cultura brasileira. Está mais para uma tradição de todo o Ocidente. Uma famosa rede internacional de lanchonetes evoca no nome: “Graças a Deus é sexta-feira” — em tradução livre do inglês. Lembro que encontrar franquias dessa marca na China comunista, mais especificamente em Xangai, foi uma das surpresas de uma viagem ao outro lado do mundo, que oportunamente compartilharei por aqui.

Acho que as segundas-feiras mereciam mais desse brilho. Elas precisam de um impulso para que a semana flua com mais leveza. Decidido: criarei um abaixo-assinado pedindo que Caetano programe nova live para uma segunda-feira. Se cada um reivindicar o mesmo aos artistas favoritos, em breve teremos uma semana repleta de sextas-feiras.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação