Recém-nascidos receberão a vacina BCG nas maternidades do DF

A portaria estabelece a aplicação da vacina BCG nas maternidades públicas, casa de parto e Institutos de Gestão Estratégica (IGES) do Distrito Federal. A vacina protege contra as formas graves da tuberculose, a intenção é imunizar o mais precocemente possível

Correio Braziliense
postado em 10/08/2020 13:59 / atualizado em 10/08/2020 15:40
BCG será aplicada logo após o nascimento -  (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
BCG será aplicada logo após o nascimento - (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF) publicou a portaria nº 581 que estabelece a implantação da vacina BCG nas maternidades públicas, casa de parto e Institutos de Gestão Estratégica (IGES) do Distrito Federal. A recomendação, a  partir de hoje, é de que os bebês recém-nascidos recebam a vacina nas unidades públicas do DF logo após o nascimento. A medida está publicada no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) desta segunda-feira (10/8).

De acordo com a portaria, as maternidades públicas, casas de parto e os Institutos de Gestão Estratégica de Saúde serão responsáveis por solicitar as vacinas e os insumos ao núcleo de vigilância epidemiológica de referência; armazenar e aplicar a imunização; orientar os responsáveis da criança sobre a evolução da cicatriz da vacina e os cuidados necessários, assim como as demais vacinas do calendário nacional de vacinação. No caso da Casa de Parto de São Sebastião, a unidade deverá solicitar as vacinas e os insumos à Unidade Básica de Saúde 1 (UBS-1) de São Sebastião.

As unidades também devem registrar as doses aplicadas na caderneta de vacinação da criança e no sistema de informações oficial do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde. A Casa de Parto de São Sebastião terá como referência técnica o Núcleo de Vigilância Epidemiológica e Imunização da Região Leste.

O pediatra e coordenador da Pediatria do Hospital Águas Claras, Dr. Mário Carpi, 48, reforça a importância da dose da vacina logo na maternidade. Segundo ele, a vacina BCG (Bacilo Calmette-Guérin) protege exclusivamente contra as formas graves de tuberculose, uma doença infectocontagiosa que ataca principalmente os pulmões, porém pode comprometer outros órgãos.

"O pico de incidência das formas mais graves da tuberculose ocorre no primeiro ano de vida. Por isso é importante que essa vacina seja aplicada logo nos primeiros dias após o nascimento do bebê. Com essa portaria é possível que todas as crianças recebam a dose de forma precoce, o que auxilia na redução das formas graves de tuberculose, pois a vacina é muito eficaz", afirma. Ele ainda alerta que é preciso profissionais treinados para a aplicação da vacina. "Essa vacina é aplicada de forma intradérmica, os bebês têm a pele bastante fina e sensível, o que requer um cuidado maior", explica.

Por fim, o texto esclarece que os núcleos de vigilância epidemiológica de cada hospital em que a maternidade está inserida devem distribuir as imunizações e insumos necessários à vacinação, sanar dúvidas técnicas e normativas sobre a vacina ou sobre a aplicação e realizar treinamentos e atualizações sobre a imunização, armazenamento e administração, assim como suporte referente ao registro no sistema de informações oficial do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação