DF deve ganhar bairro de alto padrão, o último do Plano Piloto

Último bairro construído do Plano Piloto será inovador, baseado nos conceitos mais atuais de sustentabilidade, segundo Exército, dono do terreno no DF desde 2006

Jaqueline Fonseca
postado em 10/08/2020 20:42 / atualizado em 10/08/2020 20:43
 (foto: CCOMSEx / ST Edmílson)
(foto: CCOMSEx / ST Edmílson)

O Governo do Distrito Federal e o Exército Brasileiro devem apresentar, na manhã da próxima quarta-feira (12/7), o Plano de Uso e Ocupação do solo da região conhecida como Pátio Ferroviário de Brasília (PFB). O espaço deve ser destinado ao último bairro construído no Plano Piloto e já é considerado - pelo Exército - um bairro de alto padrão.

A área localizada na extremidade oeste do Eixo Monumental pertence ao Exército desde 2006. Em maio de 2020, a Secretaria de Coordenação e Governança de Patrimônio da União (SPU) fez a entrega solene da documentação do local.

Antes disso, em setembro de 2019, foi assinado um Acordo de Cooperação Técnica entre o Departamento de Engenharia e Construção do Exército e a SPU, para o desenvolvimento de ações conjuntas na gestão do patrimônio imobiliário e no intercâmbio de capacitação técnica e novas tecnologias.

O Ministério da Economia informou que o acordo teve o objetivo de aprimorar a gestão e governança do Patrimônio da União. Em nota, a pasta destaca que a expectativa da SPU é de que a área possa trazer receitas significativas para a União, de forma que seja possível alocar recursos para as áreas de educação, saúde e infraestrutura.

O terreno é delimitado a Sul pela Via Estrutural (EPCL), a Oeste pelo Regimento de Cavalaria de Guarda (RCG), a Norte pela Estrada Parque Armazenamento e Abastecimento (EPAA) e a Leste pela Estrada Parque Indústria e Abastecimento (EPIA) e pelo Setor de Armazenamento e Abastecimento Norte (SAAN).

Segundo o Exército, o Plano de Ocupação foi elaborado com a finalidade de entregar à capital federal um bairro inovador, a fim de aplicar os conceitos mais atuais de sustentabilidade e de cidades inteligentes, cujo urbanismo e arquitetura serão referências no país.

A Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Seduh) informou que fez o plano de uso e ocupação do novo bairro baseado na Lei de Uso e Ocupação do Solo (Luos) e, após a aprovação do texto, caberá ao Exército se manifestar sobre o assunto.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação