covid19

Padre Cássio, pároco em Ceilândia, morre de covid-19

Pároco perdeu a luta para o coronavírus após um mês internado. Mãe do religioso também morreu, pelo mesmo motivo, na semana passada.

Jaqueline Fonseca
postado em 16/08/2020 17:41 / atualizado em 16/08/2020 17:41
 (foto: Reprodução / Redes sociais)
(foto: Reprodução / Redes sociais)

Morreu aos 40 anos o Padre Cássio Augusto, pároco responsável pela Igreja Nossa Senhora Assunção, em Ceilândia. Natural de Brasília, ele lutava contra a covid-19 há quase um mês, mas não resistiu e morreu na último sábado (15/08) no hospital Santa Lúcia na Asa Sul. No sábado anterior (8/8) faleceu, também após infecção por coronavírus, a mãe do pároco.

Nas redes sociais a comunidade informou sobre o falecimento e mobilizou os fiéis. Muitas publicações foram feitas agradecendo a presença e o trabalho do sacerdote junto à população de Ceilândia. Padre Cássio já apresentava sintomas da covid-19 e aguardava o resultado de seu exame em casa quando, em 18 de julho, o quadro se agravou e ele precisou ser internado.

A secretária na paróquia, Ivanilze de Oliveira, trabalhava diretamente com ele e disse que Padre Cássio foi um excelente gestor e um grande amigo. "Uma pessoa de um coração gigante, sempre aberto a acolher. Era muito alegre e estava sempre disponível para visitar os doentes e ir ao cemitério. Tinha muito zelo para com a liturgia e a celebração da missa. Um administrador muito bom e muito amigo", disse ao Correio.

Padre Cássio começou os estudos teológicos há 20 anos. Ao longo da trajetória passou por diversas igrejas em Brasília. Por nota oficial, o reitor do seminário onde o pároco estudou, Padre Paulo de Matos Félix, destacou a trajetória do missionário. Entre 2009 e 2010, Cássio foi vigário paroquial na Paróquia Santa Maria dos Pobres, no Paranoá. De 2011 a 2017, assumiu a paróquia da Arquidiocese de Goiânia, e, em 2018, atuou como vigário paroquial no Santuário Menino Jesus, em Brazlândia.

"Assumiu como Pároco da Paróquia Nossa Senhora da Assunção (Ceilândia) no ano de 2019, missão que com tanto zelo apostólico estava levando a termo até esse momento”, afirmou o Reitor do Seminário Missionário Arquidiocesano “Redemptoris Mater" Brasília.

Por onde passou, Padre Cássio cultivou bons laços. A pedagoga Wanessa Teixeira de 31 anos o conheceu em Aparecida de Goiânia. Há cinco anos, o padre fez a apresentação do filho dela, recém nascido, à igreja mas veio embora para Brasília antes que pudesse realizar o batismo. "Fiquei muito triste na época. Mas tudo na vida tem um propósito. Em Aparecida de Goiânia ele ficou na igreja que hoje é santuário Nossa Senhora Aparecida", recorda.

"Ele sempre sorria e pedia coragem. Ele me fez gostar de ir às missas, de participar mais. Ele trazia paz para mim e para minha família. "Quando foi para Brasília, ficamos muito tristes, e eu queria tentar marcar o meu casamento com ele, mas acabou não dando certo."

A professora Paula Fernanda Regner, 27 anos, também criou tanto carinho pelo Padre Cássio que foi atrás dele em outra cidade para que ele celebrasse importantes cerimônias da família. Moradora de Aparecida de Goiânia ela relembra com carinho do missionário. "Conheci Padre Cássio Augusto como pároco da igreja que eu frequento. Na época que assumiu como pároco, em 2011 eu ajudava minha mãe na catequese, e ele sempre passava e dava uma benção nos catequizandos", emociona-se.

"Era um ótimo padre, as homilias dele sempre eram rápidas mais com palavras que tocavam no fundo do coração. Foi um grande amigo da minha família. Fez o casamento da minha irmã Carla Nayane em 2011 e quando eu fui casar, em 2015, fui atrás dele para a celebração. Um ano depois, fui ao encontro dele em uma missa, para ele abençoar a gestação do meu primeiro filho. Nossa família sempre teve um imenso carinho por ele. Vai deixar muita saudade."

Padre Cássio faria 41 anos em outubro, e morreu no dia em que se celebra a Assunção de Nossa Senhora. A festa católica lembra a data em que o espírito de Maria, mãe de Jesus, subiu aos céus.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação