Obituário

Morre, aos 48 anos, o radialista e cinegrafista Renys Nogueira

Renys estava com um tumor na cabeça e sofreu complicações após a cirurgia. Ele deixa uma filha de 26 anos e um filho de 2 meses

Jaqueline Fonseca
postado em 17/08/2020 15:50 / atualizado em 17/08/2020 17:10
 (foto: Arquivo Pessoal)
(foto: Arquivo Pessoal)

Morreu, aos 48 anos, por complicações de uma cirurgia para retirada de um tumor na cabeça, Renys Nogueira. Ele era radialista e repórter cinematográfico e passou por várias redações de Brasília. Por último trabalhou em uma terceirizada que presta serviço à CNN Brasil.

Renys tinha um tumor no cérebro, mas não sabia que estava doente. Na tarde do dia 5 de julho, ele passou mal enquanto trabalhava e foi para o hospital, onde ficou internado. “Foi no domingo mesmo. Ele sentiu muita dor, os colegas me falaram”, contou o cunhado Mauro Rodrigues de Farias, de 47 anos.

O corpo de Renys será velado no cemitério do centro de Luziânia, Goiás nesta terça-feira (18/07), e será enterrado às 10h30. Em nota, o Sindicato dos Radialistas do Distrito Federal lamentou a morte de Renys e disse que se solidariza com a família. Já a CNN Brasil emitiu nota dizendo que "recebemos com profundo pesar a notícia do falecimento do colega Renys Costa Nogueira. No período que prestou serviço na CNN Brasil Renys mostrou ser um profissional exemplar e grande amigo de todos."

Renys já passou pela RBS TV, Tv Câmara, Tv Senado, TV Manchete, Tv Justiça, Associação dos Juízes Federais do Brasil (AJUFE) , Tv Rio Vermelho em Luziânia, onde morava, entre outros.

O repórter cinematográfico Alan Sérgio, de 63 anos, relembra do amigo de longa data com carinho. Alan conhece a família de Renys há muito tempo. Na década de 1980, trabalhou com o pai de Renys e manteve a amizade na segunda geração. “São muitos anos! Meu parceiro de trabalho e de um bom churrasco. Sempre estivemos juntos. Era um cara super profissional, do bem, que nós perdemos. O jornalismo em Brasília hoje está de luto.”

Alessandro Palmier também destaca a parceria do colega. Repórter cinematográfico como Renys, trabalhou com ele em diversas pautas. “Era um cara companheiro pra caramba, muito prestativo. Ajudava muito os auxiliares com os equipamentos.”

O jornalista Ruy Conde, 32 anos, morador de Sobradinho também trabalhou com Renys e lembra com carinho. Há dez anos eles formavam uma equipe em uma sucursal de Brasília. “Trabalhei com Renys na RBS TV. Um profissional muito competente e um ser humano incrível. Vivia com o sorriso largo no rosto. Renys sempre estava disposto a ajudar os colegas. Era muito generoso. A sua experiência e segurança davam tranquilidade aos que trabalhavam junto com ele. Renys foi um verdadeiro professor de vários jornalistas que tiveram o privilégio de atuar com ele. Certamente, deixará saudade.”

Quem também destaca a disposição de Renys em ajudar os colegas é Ana Paula Ergang. A assessora de comunicação de 35 anos relembra o começo da carreira e como Renys foi paciente. Eles trabalharam juntos na Associação dos Juízes Federais do Brasil (AJUFE) doze anos atrás. “Ele sempre foi muito generoso comigo que, à época, estava em início de carreira. Me ensinou muito sobre TV. Alegre, gentil, paciente. Recebi a notícia do falecimento do Renys com muita tristeza. Perdemos hoje um grande profissional.”

Renys era casado e deixa dois filhos: uma menina de 26 anos e um menino de 2 meses.


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação