Solidariedade

Brasiliense caminha até o Rio de Janeiro para arrecadar doações

Rodrigo Coelho saiu de Brasília em 19 de julho e chegou ao Rio de Janeiro em 14 de agosto. Ele dividiu o percurso em 27 trechos de 42km cada e compartilhou a experiência nas redes sociais

Samara Schwingel
postado em 18/08/2020 18:23 / atualizado em 18/08/2020 20:26
 (foto: Reprodução/Instagram)
(foto: Reprodução/Instagram)

O brasiliense Rodrigo Coelho, 38 anos, percorreu, a pé, 1.200km de Brasília ao Rio de Janeiro. Dividida em 27 etapas de 42 km cada, a maratona tinha como objetivo arrecadar doações pontuais para 27 instituições solidárias, uma em cada estado do Brasil. A campanha, inciada em julho e finalizada na última sexta-feira (14/8), foi registrada nas redes sociais  e chamou a atenção. 

Em 19 de julho, o brasiliense começou a jornada. Saindo do Congresso Nacional, ele planejou a caminhada para mostrar que ainda é possível realizar o bem, mesmo em tempos difíceis. "Eram muitas notícias ruins relacionadas à pandemia de covid-19. Senti a necessidade de fazer alguma, ajudar as pessoas de alguma forma", diz. Ele juntou o amor pela corrida à vontade fazer o bem e criou a maratona solidária. "Pratico corrida há muito tempo e queria tirar o foco das coisas ruins. Um dia, decidi ver qual era a distância entre Rio e Brasília. Foi aí que a ação começou a ganhar forma."

A partir de então, ele buscou uma forma de inserir as doações na campanha. "Depois de traçar o trajeto e dividir as etapas, comecei a buscar pelas instituições. Por meio de indicações e pesquisas próprias, entrei em contato com todas e perguntei do que elas mais precisavam", conta. Inicialmente, cada entidade irá receber R$300 do próprio Rodrigo. "A ideia era divulgar essas instituições e fazer doações pontuais. Agora, com a visibilidade que o projeto ganhou, pretendo disponibilizar uma forma para que outras pessoas possam doar também", diz. Para acompanhar os próximos passos, basta visitar a conta de Rodrigo no Instagram (@caderodrigoo).

O brasiliense considera que a vontade de espalhar o bem foi o que o motivou durante os 27 dias de caminhada. "Emagreci 10 kg, tive algumas dificuldades, precisei alterar algumas rotas e cheguei a dormir em postos de gasolina. Porém, conheci pessoas e histórias incríveis", relata. Ele afirma que a viagem foi a mais enriquecedora que já fez. "Já morei em outros países e viajei para diversos estados do Brasil. Apesar disso, nada me deixou tão feliz quanto essa maratona. Tem muita gente boa e interessante nesse pais. Foi uma experiência única."

Ele deixa um recado para quem o acompanha. "O bem é sempre o melhor caminho. Por isso, o slogan escolhido para a campanha foi #Espalheobem. Acredito que, assim, podemos focar no lado positivo da vida", considera. O projeto terá outras etapas que ainda estão em construção. Para acompanhar as próximas fases, basta seguir a página no Instagram.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação