Assistência

Pró-Vítima volta a atender presencialmente; Saiba como ter acesso

O programa oferece acolhimento de vítimas de violência por meio de equipe com psicólogos e assistentes sociais. As unidades estarão abertas das 9h às 18h a partir de segunda-feira (24/8)

Correio Braziliense
postado em 19/08/2020 16:04 / atualizado em 19/08/2020 16:04
Os canais de atendimento por telefone continuam em funcionamento -  (foto: Thais Passos/Divulgação Sejus)
Os canais de atendimento por telefone continuam em funcionamento - (foto: Thais Passos/Divulgação Sejus)

A partir da próxima segunda-feira (24/8), os seis núcleos do Pró-Vítima serão reabertos para atendimento presencial em horário integral, das 9h às 18h. O programa, criado pela Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus), visa oferecer atendimento psicológico e de assistência social voltado a vítimas de violência doméstica, intrafamiliar, psicológica, física, sexual e institucional, e a seus familiares.

Segundo a Sejus, houve um aumento considerável de casos de violência contra crianças, adolescentes e mulheres durante a pandemia. Logo, mesmo com a pandemia da covid-19, os serviços não pararam, mas continuaram a ser oferecidos em regime de plantão e por meio de telefone que continuará disponível.

Agora, a pasta adotou um protocolo para retomada do atendimento presencial. As unidades contam com barreiras de acrílico nas mesas, distribuição de equipamentos de proteção para servidores, escalas de rodízio de funcionários, disponibilização de máscaras de álcool em gel, álcool 70% e uso de termômetro para ingresso nas dependências.

O programa

Os núcleos do Pró-Vítima atendem as vítimas de violência que buscam os serviços espontaneamente ou por meio do encaminhamento de instituições, autoridades públicas, amigos, parentes ou pessoas da comunidade. As unidades físicas se localizam em Brasília, Guará, Taguatinga, Ceilândia, Planaltina e Paranoá.

A equipe é formada por psicólogos e assistentes sociais que orientam as vítimas sobre seus direitos socioassistenciais. Além disso, elas participam de sessões de terapia de apoio individual, com foco na violência vivenciada, para o restabelecimento do equilíbrio mental e emocional. Os serviços do Pró-Vítima são gratuitos, para todas as pessoas, não havendo necessidade de comprovação de insuficiência econômico-financeira.

Nos próximos dias, a Sejus pretende iniciar o atendimento itinerante nas regiões que não têm núcleo físico do Pró-Vítima. Um ônibus percorrerá as cidades para levar o serviço psicológico e social a pessoas que sofreram qualquer tipo de violência. O veículo terá um espaço de acolhimento individualizado e sigiloso e ficará por dois dias em cada região.

Após o atendimento itinerante, as vítimas serão encaminhadas para acompanhamento no núcleo físico mais próximo da residência e para outros serviços da Sejus e da rede de atendimento, como a Defensoria Pública.

Postos de atendimento

Sede: Estação Rodoferroviária, Ala Central, Térreo, Brasília

Contato: 2104-4289

Núcleo Paranoá: 5, Conjunto 3, Área Especial D, Parque de Obras, Paranoá 

Contato: 3369-0816

Núcleo Taguatinga: Administração Regional de Taguatinga, Praça do Relógio

Contato: 3451-252

Núcleo Ceilândia: EQNN 5/7, área especial C Ceilândia Norte, Brasília, DF

Contato: 2104-1480

Guará: QELC Alpendre dos Jovens, Lúcio Costa, Guará, DF

Contato: 99276-3453

Canais de atendimento por telefone

Ceilândia
99245-5207 (Assist. Social Joana)

Guará
99276-3453 (Assist. Social Katia Dupim)

Taguatinga
99108-1274 Assist. Social Ana Luzia)

Planaltina
99276-5279 (Assist. Social Maria Isabel)

Paranoá
99288-5585 (Psicóloga Luana)

Sede
99960-1892 (Assist. Social Eliane)

 

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação