VIOLÊNCIA

Preso por estuprar criança de 6 anos

Avó da menina flagrou o momento em que o acusado acariciava as partes íntimas da menor. Suspeita-se de que ele tenha abusado de outras duas vítimas. Em outro caso, a polícia prendeu homem que mantinha pornografia infantil no celular

Darcianne Diogo
postado em 20/08/2020 22:55
 (foto: Darcianne Diogo/CB/D.A Press)
(foto: Darcianne Diogo/CB/D.A Press)

Policiais da 29ª Delegacia de Polícia (Riacho Fundo) prenderam um homem de 52 anos, acusado de estuprar a neta da ex-companheira, uma menina de 6 anos. A avó da vítima flagrou o momento em que o suspeito acariciava as partes íntimas da menor. A suspeita é de que o homem tenha feito, pelo menos, mais outras duas vítimas, segundo as investigações.

Em depoimento, ele confessou ter praticado o abuso contra a criança de 6 anos. “Após a repercussão do caso do estupro contra a menina, uma sobrinha do autor, hoje com 18 anos, procurou a polícia para relatar sobre os abusos, que teriam ocorrido quando ela tinha 6 anos. A jovem contou que morava com os pais e os irmãos no mesmo lote que a avó paterna e o suspeito residiam”, detalhou o delegado à frente do caso, Rafael Catunda.

Na noite do crime, ao ser flagrado pela ex-companheira, o acusado desconversou e disse que estava apenas “cobrindo” a menina. À avó, a criança afirmou que as partes íntimas estavam doloridas. No dia seguinte, ao ser confrontado novamente, o homem pulou a janela da casa e fugiu para Itumbiara (GO), mas foi capturado na madrugada de ontem, no Riacho Fundo, quando retornava da viagem. Agora, a polícia tenta localizar outras possíveis vítimas do autor. O Correio apurou que ele trabalhava como motorista administrativo em uma creche da região.

No celular
Um segundo caso investigado pela polícia foi o de um jovem de 28 anos, preso na última terça-feira, por manter mais de 200 vídeos infantis pornográficos no celular. Ontem, ele passou por audiência de custódia e a Justiça determinou que ele fique preso durante o andamento das diligências.

A polícia o prendeu graças à denúncia de um homem contratado para consertar o aparelho telefônico do acusado e se deparar com os vídeos. No celular, os investigadores encontraram diversas filmagens de sexo explícito com crianças, como detalhou o delegado-chefe da 2ª Delegacia de Polícia (Asa Norte), João Guilherme Carvalho. “Ele confessou ter adquirido as filmagens em um grupo no Telegram e informou que comprou um pacote de mil vídeos pornográficos, no entanto, só encontramos 200”, detalhou.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação