DF registra 183 mortes em 7 dias

Walder Galvão
postado em 29/08/2020 06:00

A Secretaria de Saúde computou, ontem, 15 óbitos e 1.317 notificações. Das novas mortes, três ocorreram ontem. As vítimas moravam em Taguatinga, Sudoeste/Octogonal e Sobradinho, e duas tinham comorbidades — outras doenças que agravam os sintomas da covid-19. Apenas esta semana, entre domingo e ontem, a capital registrou 11.053 confirmações e 183 óbitos causados pela covid-19.

Com isso, o Distrito Federal aproxima-se do sexto mês de enfrentamento à pandemia do novo coronavírus com 158.180 casos e 2.440 mortes. Do total de vítimas, 2.234 moravam no Distrito Federal e 206, em outras unidades da Federação, mas morreram em hospitais da capital.

Além disso, a Secretaria de Saúde considera que 141.412 pacientes superaram a covid-19, ou seja, quase 90% do total. Portanto, há 14.328 casos ativos no Distrito Federal.

Ceilândia, a cidade mais populosa do Distrito Federal, lidera o ranking de maior incidência do novo coronavírus. No total, 18.788 moradores testaram positivo para a covid-19. Em seguida, aparecem Plano Piloto, com 12.703 notificações, e Taguatinga, com 12.661. Além disso, 16.080 moradores de outras unidades da Federação receberam o diagnóstico no DF.

Atendimento
Desde o início da pandemia, uma das principais preocupações dos órgãos de saúde era em relação à capacidade de atendimento nos hospitais. Entretanto, apesar do registro diário de diagnósticos, a taxa de ocupação dos leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) exclusivos para o tratamento da covid-19 começa a cair. Levantamento mais recente da Secretaria de Saúde mostra que, na rede pública, 66,81% da UTI estão comprometidos. No total, são 467 pacientes e 729 vagas. No sistema privado, a sobrecarga é maior: a taxa de ocupação está em 85,71%. Segundo a pasta, há 222 vagas e 267 internações.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação