Religião

GDF celebra missa em homenagem a Dom Bosco, padroeiro da capital federal

Durante todo o mês, a pasta promoveu revitalizações no local, em um esforço conjunto entre outras secretarias e órgãos do Governo do Distrito Federal

Correio Braziliense
postado em 30/08/2020 12:21
 (foto: Minnesota)
(foto: Minnesota)

A Secretaria de Turismo do Distrito Federal (Setur-DF) encerrou, na manhã deste domingo (30/8), o mês de agosto com homenagem ao Dom Bosco, padroeiro da capital federal. O evento, intitulado de Agosto de Dom Bosco faz referência ao nascimento do santo italiano, em 16 de agosto de 1815 e aconteceu no dia e local (Ermida Dom Bosco) do sonho do padroeiro de Brasília, que em 1883 profetizou uma terra prometida entre os paralelos 15 e 20 do hemisfério sul, que jorraria leite e mel em meio a riquezas.

Durante todo o mês, a pasta promoveu revitalizações no local, em um esforço conjunto entre outras secretarias e órgãos do Governo do Distrito Federal (GDF), para o mês em homenagem ao santo italiano, além de realizar uma série de ações. “Promovemos várias atividades online voltadas para mostrar este enorme potencial do turismo religioso, respeitando a pluralidade das manifestações sagradas que tornam Brasília este local tão especial e místico”, afirma a secretária de Turismo, Vanessa Mendonça.

Entre os produtos apresentados pela Setur-DF está o programa Ciclo da Paz, que oferece um roteiro turístico voltado para quem tem interesse em conhecer melhor esta Brasília espiritual. O roteiro foi criado para que os visitantes – e os moradores – possam conhecer os templos e monumentos de fé erguidos na capital federal, de modo a dialogar todas as crenças em torno da imagem da cidade sonhada por Dom Bosco.

Celebração

O evento aberto à comunidade e transmitido ao vivo pelo Instagram da Setur contou um pouco da história de Dom Bosco e a importância dele para a cidade. “Celebrar esse sonho de Dom Bosco é também sermos visionários, sonhar com o futuro de uma sociedade melhor”, destaca o padre Jonathan de Souza, reitor do Santuário Dom Bosco.

“Acredito que a missa de hoje serviu como um marco na história de Brasília, porque vai dar uma relevância muito maior para o aspecto religioso da nossa capital, que tem muito a oferecer. Fora que foi um incentivo muito grande para que esse evento fosse realizado. Eu achei muito importante por conta disso”, apontou o devoto do padroeiro Juliano Rocha, 18 anos.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação