Eixo capital

Ana Maria Campos
postado em 03/09/2020 21:38
 (foto: Ana Rayssa/CB/D.A Press)
(foto: Ana Rayssa/CB/D.A Press)

Ibaneis elogia Bolsonaro e descarta candidatura presidencial

O governador Ibaneis Rocha (MDB), por ora, tirou o time de campo na disputa presidencial. Apesar de estar no primeiro mandato, ele não vai cair no mesmo erro de outros políticos que se colocaram nessa posição sem lastro, como o governador afastado do Rio, Wilson Witzel (PSC), o breve. Em entrevista ao Correio, publicada ontem, Ibaneis fez o caminho inverso. Elogiou o presidente Jair Bolsonaro e descartou candidatura contra ele. Eu acho que o Bolsonaro está muito bem, e digo isso desde o ano passado”, afirmou aos jornalistas Alexandre de Paula e Denise Rothenburg. “O presidente está bem colocado nas pesquisas e está com um trabalho muito bem-feito em plena pandemia, em especial no que se diz respeito às pessoas mais pobres. Falo isso porque conheço o Nordeste, conheço o pensamento”, acrescentou. Assim é a política. O momento é esse. Mas tudo pode mudar, inclusive nada.


2022 é logo ali

O ex-deputado Alberto Fraga (DEM-DF) andava sumido da política local. Mas voltou batendo forte em video distribuído nas redes sociais. O assunto são as denúncias relacionadas à compra de testes para covid-19. “Brasília não merece conviver com tanta roubalheira”, postou Fraga, que concorreu ao Palácio do Buriti em 2018.


A festa vai continuar

Mesmo diante do quadro de pandemia, a edição 2020 do Prêmio Engenho de Comunicação — O Dia em que o Jornalista Vira Notícia vai ocorrer, em novembro. A programação foi retomada e, segundo a idealizadora da premiação e presidente do Prêmio Engenho, Kátia Cubel, este ano traz particularidades para o Jornalismo, como a importância das notícias em tempos de pandemia e de fake news e o aumento das agressões de todos os tipos à Imprensa e aos jornalistas. “Vamos fazer uma cerimônia de premiação presencial, como é a tradição do Prêmio Engenho, mas com todas as medidas sanitárias necessárias para a proteção de todos”, informa Kátia Cubel.


Sondagem para mudanças

Subsecretário de Assuntos Parlamentares de Roriz e de Rollemberg, José Flávio Oliveira é cotado para o mesmo cargo no governo de Ibaneis Rocha. Ele foi sondado por deputados do chamado centrão que têm resistência ao titular atual, Bispo Renato Andrade. O problema é a pandemia. José Flávio é diabético e fez cirurgia bariátrica, grupo de risco. Atualmente faz home office no gabinete do deputado distrital Roosevelt Villela (PSB). Mas, como articulador político, terá de estar presente. O tête-à-tête com distritais é fundamental. Ninguém negocia por WhatsApp.


Mesmos interesses

O problema do centrão brasiliense com o Bispo Renato Andrade é a concorrência. Ex-deputado distrital sonha com o retorno à Câmara Legislativa e é visto como um adversário pelos deputados com quem precisa lidar para aprovar projetos do interesse do Executivo.


À QUEIMA-ROUPA

Deputado Rodrigo Delmasso (Republicanos) Vice-presidente da Câmara Legislatva

Vai ter CPI da Pandemia?
Tecnicamente o requerimento atende aos requisitos, só restando dúvidas quando ao objeto delimitado. Temos que aguardar o Parecer da Procuradoria da Câmara.

É muito desgaste para o governo?
Não acredito em desgaste para o Governo, mas sim para a Câmara Legislativa. As investigações estão sendo muito bem conduzidas pelo Ministério Público que é o titular da ação penal. Infelizmente a Câmara ainda não tem instrumentos necessários para avançar nas investigações. Futuramente teremos, pois a equipe da vice-presidência e da Coordenação de Informática estão trabalhando em um sistema de_Bussines Inteligente_ que vai dar mais agilidade nas ações de fiscalização do Poder Executivo.

A CPI ajuda ou atrapalha a investigação do Ministério Público do DF sobre a compra de kits para covid-19?
Na minha visão, atrapalha, pois o Ministério Público faz uma investigação técnica e uma CPI é um instrumento político-jurídico, por isso não acredito ser oportuno a instalação de uma CPI para investigar aquilo que já está sendo investigado. Além de passar uma impressão de que não confiamos na investigação que o MPDFT está fazendo.

Se for instalada, a comissão vai se reunir por videoconferência?
Terá que ser por vídeoconferência, pois enquanto estamos em estado de calamidade pública e em pandemia aprovamos uma resolução em que as reuniões de comissões devem ser feitas de forma remota.

Como a Câmara contribui neste período de crise?
Contribuímos muito. Todos os deputados apresentaram projetos que ajudaram a população, como por exemplo o auxílio emergencial, recursos para a saúde e assistência social dentre outros projetos. Sem sombra de dúvida esta legislatura é uma das melhores que a Casa já teve.

 

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação