MOBILIDADE

Rodoviários paralisam as atividades por falta de pagamento

Pelo menos três companhias interromperam os serviços nesta sexta-feira, mas duas delas garantem que o serviço já foi normalizado

Samara Schwingel
Ana Clara Avendaño*
postado em 04/09/2020 17:28 / atualizado em 04/09/2020 19:48
 (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)

Rodoviários do Distrito Federal paralisaram as atividades na manhã desta sexta-feira (4/9). O motivo, segundo o Sindicato dos Rodoviários do DF, seria o atraso no pagamento de horas extras e outros benefícios.

Ainda de acordo com o sindicato, pelo menos três companhias suspenderam os serviços: Urbi, São José e Marechal. Os rodoviários aguardavam manifestação das empresas para uma possível negociação e retorno das atividades. No caso da Urbi e da São José, as atividades foram normalizadas ainda durante a tardem segundo as empresas.

Sem aviso prévio da paralisação, passageiros esperaram por mais de uma hora por ônibus em diversos regiões do DF.  Na Rodoviária do Plano Piloto, as pessoas registraram filas à espera dos ônibus. 

A Marechal emitiu nota em que admite não ter quitado o salário dos colaboradores - apenas 70% do valor foi pago. A empresa justificou a situação com a crise causa pela pandemia da covid-19.

"A crise causada pelo novo coronavírus reduziu em cerca de 60% o número de passageiros transportados, mas a empresa continuou operando com 100% da frota desde o início da pandemia, não reduziu salários ou suspendeu contratos, mantendo todos os postos de trabalho sem nenhuma demissão", observou.

"Isso fez com que os custos permanecessem os mesmos, porém a receita da empresa passou a ser apenas 40% do que era antes da pandemia, levando à insustentabilidade da operação. A queda na arrecadação e o atraso nos repasses do Governo do Distrito Federal, causou o atraso no pagamento de parte dos salários", continua a nota.

A Marechal informa ter apresentado ao GDF vários pleitos de revisão tarifária "para o reequilíbrio econômico financeiro do contrato de concessão", pois as restrições de circulação "impostas pela pandemia vieram a agravar ainda mais um quadro que já era crítico". Destacou ainda que vem fazendo todos os esforços para cumprir os compromissos com colaboradores, fornecedores e prestadores de serviço, "além do pagamento de todos os impostos, porém ainda não foi encontrada solução definitiva para a sustentabilidade do Sistema de Transporte Público Coletivo do DF (STPC/DF)".

Também por meio de nota, a Secretaria de Transporte e Mobilidade informou que acompanhou as negociações entre os rodoviários e as empresas e a São José e a Urbi já voltaram com a operação normal, mas que a Marechal continua negociando com o sindicato dos rodoviários.

"Cabe esclarecer que a Semob elaborou um plano emergencial com as demais concessionárias visando a cobertura das áreas atendidas pela Marechal", destacou no texto.

* Estagiária sob supervisão de Mariana Niederauer

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação