PIONEIRO

Morre Antônio Félix Ferrão, 88 anos

Celimar de Meneses*
postado em 04/09/2020 21:48
 (foto: Arquivo Pessoal)
(foto: Arquivo Pessoal)

Antônio Félix Ferrão, pioneiro que ajudou na construção de Brasília, morreu na madrugada de ontem, aos 88 anos. A certidão de óbito relata que a causa da morte foi pneumonia, insuficiência renal e infecção generalizada.

Segundo a esposa de Antônio, Maria Carolina Ferrão, ele estava com Alzheimer, sofria com diversos problemas de saúde e precisava fazer hemodiálise. “Nós ficamos tristes com a morte, sentimos muita falta dele. Mas, ao mesmo tempo, ele descansou”, diz Maria. “Em todo esse tempo que vivi com ele, o Antônio nunca sofreu tanto. Ele sempre foi muito trabalhador”, explica a viúva, que esteve casada com Antônio por 64 anos.

Ela conta que os dois se mudaram para o local que viria a se tornar Brasília em 1958. Ambos nasceram em Senhora dos Remédios (MG) e se casaram um ano antes de se mudar para a futura capital. “A viagem para cá foi uma das mais difíceis que fizemos. Não tinha estrada e o ônibus a todo momento deslizava, com risco de cair dentro do Rio Bartolomeu”, conta.

A viúva afirma que a vida dos dois em Brasília foi de muita luta, mas muito feliz. “Lembro de esperar ele voltar tarde da noite do trabalho, para esquentar a água quente para tomar banho de cuia. O cabelo dele vinha duro de passar o dia pegando poeira”, rememora. Assim que chegaram a Brasília, os dois e o filho mais velho, de um total de cinco, moraram na Cidade Livre, hoje o Núcleo Bandeirante, na casa do cunhado, e, posteriormente, na Vila Operária, atual Candangolândia.

“Naquela época, tudo em Brasília era difícil. Eu comecei a vender cafezinho pro pessoal que trabalhava e eles reclamavam que faltava cigarro. Aí eu ia na Souza Cruz e comprava”, conta a pioneira. “Essa foi a nossa luta, o Antônio sempre foi uma pessoa respeitosa e nossa relação foi muito boa, por isso durou tanto tempo”, afirmou Maria Carolina.

Nota de pesar

O presidente da Associação dos Candangos Pioneiros de Brasília, Jorge Sarkis, afirmou em texto divulgado para membros da associação que Antônio foi um companheiro suave e doce, que teve na família e em Brasília sua maior honraria. “A Associação dos Candangos Pioneiros de Brasília reconhece, agradece e homenageia Antônio Félix Ferrão pela sua vida e solidariza-se com a família neste momento de dor e deixa claro o orgulho de ter a todos como parte da nossa história”, afirmou o presidente.

* Estagiário sob a supervisão de Adson Boaventura


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação