Cuidado

Sejus lança campanhas sobre saúde mental de crianças e adolescentes

A Secretaria elaborou uma revista em quadrinhos que utiliza linguagem para o público infantil, com temas sobre valorização da vida, amor próprio e bullying.

Correio Braziliense
postado em 10/09/2020 12:43
O quadrinho 'A Turma do Sejuquinha no Setembro Amarelo' está disponível on-line e tem distribuição gratuita  -  (foto:  Jhonatan Vieira/Sejus-DF)
O quadrinho 'A Turma do Sejuquinha no Setembro Amarelo' está disponível on-line e tem distribuição gratuita - (foto: Jhonatan Vieira/Sejus-DF)

A Secretaria de Justiça e Cidadania do Distrito Federal (Sejus) lançou, nesta quinta-feira (10/9), campanhas para alertar para os cuidados com a saúde mental de crianças e adolescentes. A data marca o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio e duas ações foram preparadas.

Uma delas é a cartilha A Turma do Sejuquinha no Setembro Amarelo, disponível on-line e com distribuição gratuita nos Conselhos Tutelares do DF. A revista em quadrinhos foi concebida com linguagem destinada ao público infantil e traz temas sobre valorização da vida, amor próprio e bullying.

“Podemos abordar esses assuntos em qualquer idade, mas de formas diferentes, considerando a faixa etária. No caso das crianças, é por meio das brincadeiras e da fantasia que elas conseguirão se expressar. E essa é a proposta da nossa revistinha”, diz a secretária Marcela Passamani.

Outra ação é com adolescentes do sistema socioeducativo. A Sejus informou que serão feitas oficinas, saraus, palestras e rodas de conversa sobre saúde mental, além de plantio das sementes de girassol, flor que representa vitalidade e alegria. Essas atividades ocorrem nas unidades de meio aberto, semiliberdade e internação do DF administradas pela Sejus.

Números preocupam

Em todo o mundo, durante este mês ocorrem mobilizações de combate ao suicídio. É o chamado Setembro Amarelo. De acordo com a pesquisa divulgada em 2019 pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o suicídio é a segunda maior causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos no mundo, atrás apenas dos acidentes de trânsito. No Brasil, é a quarta causa de morte entre pessoas dessa faixa etária.

A Sejus ainda alerta que é importante que familiares fiquem atentos aos sinais de suicídio. Alguns indicativos podem ser expressos em postagens de textos ou imagens tristes nas redes sociais, falta de esperança, expressão de ideias ou intenções suicidas, diminuição ou ausência de autocuidado, alterações de humor, crescente isolamento de amigos/família, autoagressão e pensamentos destrutivos.

Disque 188

A cada mês, em média, mil pessoas procuram ajuda no Centro de Valorização da Vida (CVV). São 33 casos por dia, ou mais de um por hora. Se não for tratada, a depressão pode levar a atitudes extremas. Hoje, o CVV é um dos poucos serviços em Brasília em que se pode encontrar ajuda de graça. Cerca de 50 voluntários atendem 24 horas por dia a quem precisa.

Com informações da Sejus

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação