Coronavírus

Antônio José Pereira, 61 anos

Biomédico pela Universidade de Brasília (UnB) e secretário de Formação Política do Partido dos Trabalhadores (PT) do Núcleo Bandeirante faleceu, nesse sábado, em decorrência de complicações provocadas pelo novo coronavírus

Correio Braziliense
postado em 13/09/2020 23:23
 (crédito: Arquivo pessoal)
(crédito: Arquivo pessoal)

Antônio José Pereira fez da vida uma caminhada de amor, de cuidado e de atenção com o próximo. Fosse em casa ou no trabalho, o biomédico, formado na Universidade de Brasília (UnB), não exitava oferecer acolhimento. No último sábado, o coração, no entanto, não resistiu e Antônio José Pereira morreu, aos 61 anos, em decorrência de complicações da covid-19.

Internado há pouco mais de um mês com 25% do pulmão comprometido em razão do novo coronavírus, o secretário de Formação Política do Partido dos Trabalhadores (PT) do Núcleo Bandeirante teve morte cerebral na quarta-feira e, de acordo com a família, o coração parou de funcionar neste fim de semana.

“É com profunda tristeza que venho comunicar sobre a passagem do meu pai para o plano espiritual. Ele lutou bravamente para se manter vivo aqui, na Terra, durante 40 dias, desde quando sentiu os primeiros sintomas da covid. Mesmo após curado do vírus, seu corpo sofreu fortes sequelas decorrentes da doença, que trouxeram sérias consequências para o seu organismo”, publicou, em uma rede social, uma das filhas de Antônio, Mariana Camelo. O pai não apresentava comorbidades e era uma pessoa saudável e cuidadosa, com ele e com os demais.

Um dia antes de ser internado no Hospital do Coração, Antônio, que estava isolado cumprindo a quarentena, recebeu uma homenagem das filhas. “Cantamos para ele com balões e cartazes. Ele ficou muito emocionado. Depois fizemos uma videoconferência para vermos os nossos rostos e foi muito amor”, relembra Vanessa, outra filha.

Apaixonado por música, Antônio dedicou-se a aprender a mexer com equipamentos de som e ajudou a filha Mariana nas gravações de discos e até nos shows. “Ajudava a ela em tudo e era muito acolhido e recebido pelos amigos da minha irmã e pelo público. Ele ficava muito orgulhoso”, conta Vanessa.

Em 10 de agosto, contudo, o biomédico precisou ser hospitalizado. Na UTI, Antônio recebeu a notícia de que a mãe não havia resistido à batalha contra o novo coronavírus. “Ele ficou muito abalado, mas, depois, acalmou-se. Como espírita, sabia que a minha avó teria uma boa passagem e que encontraria o grande amor da vida dela, meu avô, que faleceu no final do ano passado. Ele nos mandou mensagem dizendo que estava sereno com a partida dela. Nós que estamos muito abalados, agora, pois perdemos duas pessoas incríveis para essa doença em tão pouco tempo”, lamenta Vanessa.

Em respeito ao desejo de Antônio, não houve velório. O sepultamento ocorreu ontem. O biomédico deixa a esposa, Nira, cinco filhos e três netos.

Dedicação

Em nota de pesar, o Partido dos Trabalhadores do DF (PT) lamentou a partida do companheiro e homenageou o filiado pelos anos dedicados à legenda. “Na memória histórica e política do PT, parte um homem íntegro, um companheiro combativo, determinado e generoso. Sua dedicação às causas do povo, à democracia e à construção de um outro mundo possível estará sempre perto de nós, presente em nossas memórias, lembranças, histórias e muitas saudades”.

Antônio José Pereira formou-se pela UnB, em 1983. Ele foi Secretário de Formação Política do PT do Núcleo Bandeirante e atuou nos projetos Terças de Formação e Pensar e Elaborar.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação