Ranking

Brasília é a 8ª cidade mais inteligente do país, aponta pesquisa

Pesquisa analisou que Brasília se destaca em mobilidade, tecnologia e inovação, com crescimento de 21,5% nas Micro Empresas Individuais

Alan Rios
postado em 14/09/2020 10:11
A pesquisa analisou 11 quesitos para fazer o rankeamento -  (crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
A pesquisa analisou 11 quesitos para fazer o rankeamento - (crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Brasília está entre as dez cidades mais inteligentes do país. É isso que mostra o Ranking Connected Smart Cities 2020, que aponta a região como a 8ª mais avançada no quesito nacional e a líder em inteligência do Centro-Oeste.

A pesquisa foi apresentada durante o evento virtual Connected Smart Cities e Mobility Digital Xperience 2020, referência em debates de cidades e mobilidade do Brasil. Foram analisados 11 quesitos para o rankeamento: mobilidade, urbanismo, meio ambiente, tecnologia e inovação, economia, educação, saúde, segurança, empreendedorismo, governança e energia.

Brasília ficou atrás das cidades de São Paulo, Florianópolis, Curitiba, Campinas, Vitória, São Caetano do Sul e Santos (SP). Os dados da capital mostraram ainda um crescimento de 21,5% nas Micro Empresas Individuais e boas colocações em outros segmentos.

A cidade do Distrito Federal também foi apontada na 2ª colocação nacional de cidades em Mobilidade e Acessibilidade, 4ª em Economia e 9ª em Tecnologia e Inovação. Os três Parques Tecnológicos e as sete incubadoras de empresa ajudaram no ranking.

Indicadores

A pesquisa mostrou que Brasília conta com 44,8% das conexões de banda larga com velocidade superior a 34 MB, um crescimento de 13% em relação à última pesquisa, 72 pontos de acesso a internet por 100 habitantes — eram 24 em 2019 — e 33,3 dos empregos formais da cidade sendo ocupados por profissionais com ensino superior.

Gilvan Máximo, secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação do Distrito Federal, comentou a pesquisa em evento que destacou a importância da infraestrutura digital, que se intensificou durante a pandemia. “O levantamento dos indicadores no ranking nos permite identificar as áreas onde a cidade apresenta maior carência e, com isso, focar atenção nesses segmentos. Também nos permite identificar cidades que estão melhor posicionadas e buscar aprender com essas cidades como implementar políticas de cidades inteligentes mais efetivas”, afirmou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação