POLÊMICA

Administração diz que não licenciou feirão de veículos no Mané Garrincha

A Associação dos Revendedores de Veículos do Distrito Federal (Agenciauto) notificou diversos órgãos do DF para apurar a regularidade do evento, divulgado como "Feirão do Mané"

Alan Rios
postado em 15/09/2020 06:00
 (crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)
(crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)

Um feirão de veículos previsto para começar na sexta-feira (18/9) vem sendo divulgado no Distrito Federal como um evento com “as melhores oportunidades e as melhores taxas do mercado”, no privilegiado espaço entre o Ginásio Nilson Nelson e o Tribunal de Contas do DF (TCDF). Porém, a Administração Regional do Plano Piloto afirma que “não licenciou nenhum evento em razão da suspensão do decreto 40817/2020, substituído pelo decreto 40.939/2020”, textos que suspendem a realização de eventos, de qualquer natureza, que exijam licença do Poder Público, por conta da pandemia do novo coronavírus.

Os organizadores também informam que o local vai contar com mais de 700 vagas para expositores, praça de alimentação, controle de acesso feito por seguranças e equipes de brigadistas e auxiliares de limpeza.

A Associação dos Revendedores de Veículos do Distrito Federal (Agenciauto) notificou diversos órgãos do DF para apurar a regularidade do evento, divulgado como “Feirão do Mané”. “As informações da programação não mostram o CNPJ da empresa, telefone, endereço ou nada que dê credibilidade. Ou seja, pode ser um golpe, em que eles recebem o pagamento das lojas e o evento não se consolida”, avalia José Rodrigues Neto, presidente da Agenciauto.

“Inaceitável”


Cleber Pires, um dos fundadores da Cidade do Automóvel, é enfático ao dizer que a proposta do “Feirão do Mané” vai contra o interesse econômico do DF. “Não acredito que vá acontecer um evento assim, para qualquer um que queira expor seu carro, sem embasamento para alvará de funcionamento e indo contra o decreto de 2010”, diz.

Procurado, o Governo do Distrito Federal ressaltou que “a autorização para a realização de qualquer evento deve partir das administrações. A Administração Regional do Plano Piloto detalhou que não licenciou nenhum evento em razão da pandemia

O Correio tentou contato com os responsáveis pelo evento desde a manhã desta segunda-feira (14/9), mas a única resposta que obteve foi a de que o diretor da empresa estaria em reunião. Até o fechamento desta matéria, não houve outro retorno.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação