Mulheres hipercriativas

Projeto selecionará mulheres empreendedoras do DF para capacitação

Edital do programa Mulheres Hipercriativas vai remunerar professoras em diversas áreas. Profissionais vão capacitar mulheres que planejam se inserir no mercado de trabalho

Celimar de Meneses*
postado em 16/09/2020 18:55 / atualizado em 16/09/2020 20:30
40 professoras-facilitadoras serão selecionadas para dar instruções sobre a condução de novos negócios. -  (crédito: Cristiano Gomes/CB/D.A Press)
40 professoras-facilitadoras serão selecionadas para dar instruções sobre a condução de novos negócios. - (crédito: Cristiano Gomes/CB/D.A Press)

Mulheres interessadas em entrar no mercado de trabalho, ter uma fonte de renda e amenizar o impacto econômico gerado pela pandemia contarão com uma nova oportunidade a partir de quinta-feira (17/9). A Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI) e a Secretaria de Estado da Mulher (SMDF) lançam o projeto Mulheres Hipercriativas, que vai selecionar e remunerar 40 professoras, ou facilitadoras, em diversas especializações da economia criativa (atividades baseadas em inovação, cujo capital intelectual é a matéria-prima), para fortalecer o empreendedorismo feminino. 

A iniciativa será lançada às 15h, no Salão Branco do Palácio do Buriti, e os cursos oferecidos visam o aperfeiçoamento de mulheres na área de comunicação, como publicidade, marketing, multimídia, organização de eventos, mas também em oficinas de moda, gastronomia, design gráfico e de produtos, além de gestão empreendedora. Quatro mil mulheres do Distrito Federal terão a oportunidade de fazer as aulas, tanto quem deseja começar um novo projeto quanto quem busca aperfeiçoar o próprio negócio com técnicas modernas de vendas e gestão.

Para a lojista Lorena Menezes, 22 anos, esse tipo de iniciativa é muito importante para quem quer começar a empreender. “Quando a gente começa, não sabe o que pode ou não fazer. Para mim, foi muito complicado no começo”, afirma a dona de uma loja de moda feminina. Ela explica que é bom ter aulas com quem já empreende para não repetir os erros mais comuns. “Abri a loja agora na pandemia e sinto que ainda preciso aprender muito, me falta muita experiência de mercado”, afirmou. Ela assegura que, se conseguir encaixar na agenda, com certeza vai participar do projeto Mulheres Hipercriativas.

Seleção

O edital vai selecionar 40 professoras-facilitadoras para dar instruções sobre a condução de novos negócios e repassar a outras mulheres as habilidades profissionais que dominam. Uma vez inscritas, elas devem apresentar propostas de oficinas que devem ter 40, 20 ou 10 horas de duração. O projeto é uma oportunidade de aprendizado de extrema importância, em um cenário em que as mulheres, segundo dados do IBGE, foram as mais prejudicadas com a crise provocada pelo novo coronavírus.

“No momento econômico em que estamos vivendo, em que as mulheres foram diretamente afetadas pela pandemia, acredito que o projeto Mulheres Hipercriativas chega como uma oportunidade para as jovens mulheres repensarem seus negócios, seus projetos de vida e também realizarem o sonho de serem empreendedoras”, afirmou a Secretária de Estado da Mulher do DF, Ericka Filippelli. “Mais do que isso, é a oportunidade de construção de uma forte rede de mulheres líderes”, concluiu.

Esta é a primeira edição do Mulheres Hipercriativas, que conta com o apoio da Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, além da parceria de gestoras públicas, líderes comunitárias e empresárias do DF, que atuarão como embaixadoras do projeto. A ideia é somar esforços de mulheres já consolidadas no meio profissional para motivar e inspirar contando suas histórias, bem como ensinar e trocar experiência no ramo em que são especialistas.

Segundo o diretor e chefe da representação da OEI no Brasil, Raphael Callou, “o foco do projeto está na formação e profissionalização como eixos de desenvolvimento da economia criativa, procurando fortalecer a geração de novos negócios no setor e gerar mais oportunidade e renda para mulheres empreendedoras do Distrito Federal”.

Mais informações do projeto no site www.oei.org.br/mulheres-hipercriativas.

 

*Estagiário sob a supervisão de Adson Boaventura

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação