Denúncia

Em uma semana, canteiros no DF têm 500 mudas de flores furtadas

Principal alvo dos furtos são flores do canteiro do balão do Aeroporto de Brasília. Prática é considerada crime ambiental

Correio Braziliense
postado em 18/09/2020 19:50
A Novacap vai pedir ajuda ao DER para identificar os criminosos. -  (crédito: Paulo H Carvalho/Novacap)
A Novacap vai pedir ajuda ao DER para identificar os criminosos. - (crédito: Paulo H Carvalho/Novacap)

A Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) registrou 500 furtos de mudas de flores nos canteiros públicos do DF na última semana. Segundo a companhia, os prejuízos financeiros dos roubos seriam de pelo menos R$ 5 mil.

“Mas mais importante que o prejuízo financeiro é o prejuízo ao meio ambiente, pela maneira que elas são retiradas”, disse Sérgio Lemos, diretor de urbanização da Novacap. “A gente pede a população que nos ajude a fiscalizar, a manter, até porque isso também se trata de um crime ambiental, um crime contra o patrimônio da humanidade que é Brasília”, protestou.

Segundo a companhia, o DF tem 572 canteiros espalhados pela cidade, que são patrimônio público da população do Distrito Federal. Um dos canteiros alvo preferido dos criminosos é o do balão do Aeroporto Internacional de Brasília. Esse canteiro é conhecido pela população como Bambolê da Dona Sarah, em referência à mulher de JK.

Além do furto das flores, a Novacap registrou o furto de placas de grama da nova Galeria, que acabou de ser reformada. “É um espaço importantíssimo, no coração da cidade, visto pela nossa população e por turistas”, afirmou Sérgio. Segundo o diretor, a Novacap está pedindo ajuda ao Departamento de Estradas de Rodagem (DER), para ver se com as câmeras públicas é possível identificar os ladrões.

“Esse furto é uma coisa sem necessidade. Às vezes, nem é maldade, a pessoa só quer ter a planta no seu jardim. Procure a Novacap, talvez a gente consiga fazer a aquisição dessa planta, a gente até orienta a maneira de cuidar dela, uma coisa mais civilizada”, contou. Raimundo Silva, chefe do Departamento de Parques e Jardins da Novacap, explica que a companhia faz doação de mudas e vende pelo preço de produção, que sai mais em conta.

  • Mudas roubadas no
    Mudas roubadas no "Bambolê da Dona Sarah", o balão do Aeroporto. Foto: Paulo H Carvalho/Novacap
  • Mudas roubadas no
    Mudas roubadas no "Bambolê da Dona Sarah", o balão do Aeroporto. Foto: Paulo H Carvalho/Novacap
  • Mudas roubadas no
    Mudas roubadas no "Bambolê da Dona Sarah", o balão do Aeroporto. Foto: Paulo H Carvalho/Novacap
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação