Operação

Vídeo: Moradores em situação de rua têm pertences recolhidos pelo governo

Operação encabeçada pelo DF Legal foi realizada na manhã deste sábado (19/9). Instituto NoSetor afirma que houve incongruências na ação

Samara Schwingel
postado em 19/09/2020 14:25
 (crédito: Material cedido ao Correio )
(crédito: Material cedido ao Correio )

Na manhã deste sábado (19/9), moradores em situação de rua do Setor Comercial Sul (SCS) tiveram pertences recolhidos por agentes de segurança pública. De acordo com o Instituto NoSetor, entidade que acompanha a população vulnerável, as pessoas não receberam nenhum tipo de aviso prévio e só conseguiram salvar documentos. 

Felipe Velloso, fundador do instituto, presenciou a ação e destacou algumas incongruências por parte dos agentes. "Eles não apresentaram mandado para invadir um prédio abandonado e acredito que isso era necessário. Além disso, não houve acompanhamento de nenhum representante da Secretaria de Desenvolvimento Social", disse. 

Durante a ação, uma mulher chegou a ser levada para a 5ªDP (Asa Norte). Ela foi autuada por resistência e desacato. 

Vídeo cedido ao Correio mostra momentos da operação. Confira: 

 

Esclarecimentos

Procurada pela reportagem, a Secretaria de Segurança do Distrito Federal (SSP/DF) informou, em nota,  que a ação faz parte da segunda fase do trabalho realizado por diversos órgãos do Governo do Distrito Federal (GDF) para revitalização do SCS. A pasta ainda acrescentou que a operação é encabeçada pelo DF Legal.

"O DF Legal é responsável pelo recolhimento de barracas e demais estruturas instaladas por famílias em situação de rua, que poderão ser encaminhadas para centros de atendimento e acolhimento oferecidos pelo governo local. Os resíduos inservíveis serão destinados à Unidade de Recebimento de Entulhos (URE), do Serviço de Limpeza Urbana (SLU). Já os materiais que ainda tiverem serventia para os mesmos serão levados ao depósito da pasta, onde ficarão passíveis de devolução", diz o texto. 

 

Acolhimento social

De acordo com o NoSetor, em 28 de setembro termina o contrato do acolhimento no autódromo e mais de 200 pessoas voltarão pra rua. O alojamento provisório é uma medida para que pessoas em situação de rua possam cumprir o isolamento social necessário para o combate à covid-19. No local, são oferecidos dormitórios em formato conteineres, banheiros, três refeições, lavanderia e cursos de capacitação profissional.

Procurado pelo Correio, o GDF informou que a Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) "atua em todo o DF, rotineiramente, nos pontos onde encontra pessoa em situação de rua, por meio do serviço de abordagem social. Os serviços especializados de atendimento são oferecidos, sempre com o consentimento do cidadão, para encaminhamento psicossocial ou para um dos centros de atendimento ou no núcleo de acolhimento. As pessoas em situação de rua, instaladas no Setor Comercial Sul, também poderão ter acesso aos servidos oferecidos pelo GDF", diz nota oficial encaminhada pela subsecretaria de Relação com a Imprensa

Confira a nota da SSP na íntegra:

"A Secretaria de Segurança do Distrito Federal (SSP/DF) participou, neste sábado (19), de operação de apoio à Secretaria DF Legal na retirada de instalações irregulares no Setor Comercial Sul (SCS). A ação faz parte da segunda fase do trabalho realizado por diversos órgãos do Governo do Distrito Federal (GDF), para revitalização do SCS.

O DF Legal é responsável pelo recolhimento de barracas e demais estruturas instaladas por famílias em situação de rua, que poderão ser encaminhadas para centros de atendimento e acolhimento oferecidos pelo governo local. Os resíduos inservíveis serão destinados à Unidade de Recebimento de Entulhos (URE), do Serviço de Limpeza Urbana (SLU). Já os materiais que ainda tiverem serventia para os mesmos serão levados ao depósito da pasta, onde ficarão passíveis de devolução.

Também são oferecidos suporte e ajuda humanitária, por meio da Subsecretaria do Sistema de Defesa Civil, vinculada à Secretaria de Segurança Pública do DF (SSP/DF). O órgão realiza o cadastramento de pessoas para recebimento de cestas básicas, colchões e cobertores para aqueles que tenham endereço físico.

A Polícia Militar do DF (PMDF) atua na região para garantir ordem e segurança de todos os envolvidos. Durante a operação, uma mulher apresentou resistência e precisou ser conduzida à 5ª Delegacia de Polícia, onde foi autuada por resistência e desacato.A Cidade da Segurança Pública permanecerá no Setor durante todo desdobramento da operação."

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação