Segurança

Cliente atingido na cabeça por placa de metal em parque deve ser indenizado

Um cliente teve traumatismo craniano após uma placa de metal se desprender no bar da piscina do parque e atingir a cabeça dele

Correio Braziliense
postado em 23/09/2020 18:15 / atualizado em 23/09/2020 20:14
 (crédito: Maurenilson FreireCBD.A Press)
(crédito: Maurenilson FreireCBD.A Press)

A 1ª Turma Recursal dos Juizados Especiais do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) decidiu, unanimemente, nesta terça-feira (23/9), manter condenação da empresa Eldorado Water Park por falha na segurança de serviço prestado, após uma placa de metal atingir a cabeça de um cliente. A instituição deverá indenizar o usuário por danos morais.

Segundo ação protocolada pela vítima, ele estava com a família no bar da piscina do estabelecimento, durante comemoração do Dia dos Pais, e foi atingido por uma placa de metal que havia se desprendido. O homem foi socorrido pelos funcionários do parque, que fizeram um curativo e o encaminharam a uma Unidade de Pronto Atendimento. Lá, ele foi diagnosticado com traumatismo craniano.

A decisão foi tomada após o parque recorrer da decisão do 4º Juizado Especial Cível de Brasília que condenou o réu a pagar ao autor a quantia de R$ 10 mil a título de danos morais. Em recurso, o Eldorado Water Park afirmou que o consumidor não demonstrou a autoria do dano causado e que os fatos ocorridos, por si só, não foram capazes de gerar ofensa à dignidade, à honra e ao sossego, e requer a reforma da sentença. 

O colegiado, porém, negou a argumentação e manteve a sentença que condenou o parque a pagar ao autor a quantia de R$ 10 mil pelos danos morais.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação