Crônica da Cidade

Severino Francisco
postado em 23/09/2020 22:34

São Cosme e São Damião


Todos os anos, eu atualizo a prece a São Cosme e São Damião, inspirada em uma célebre crônica do ilustre colega Rubem Braga. A ideia veio no dia em que a minha filha, professora da rede pública de ensino do DF, captou em imagem tremida uma festa numa creche de uma cidade da periferia.

Como é fácil fazer uma criança feliz. É só juntá-la com outras, distribuir balinhas, colocar alguma música e deixar que se espalhem no pátio. A partir da imagem do celular, em face do descaso com os brasileirinhos, resolvi fazer uma oração a São Cosme e São Damião, os santos protetores das crianças.

“São Cosme e São Damião, em primeiro lugar, protegei os meninos e as meninas dos que só querem dispensar atenção a eles no Dia das Crianças e viver com boa consciência no restante do ano, pois é sabido que precisam de cuidados todos os dias.

Protegei as crianças das violências que sofrem em casa e das que sofrerão com os projetos de mais armamento para a população. Protegei as crianças que reviram os detritos nos lixões da Estrutural e da Ceilândia, disputando comida com os urubus, mas também os meninos dos bairros ricos, pois o dinheiro não compra tudo.

Protegei os meninos pobres e os meninos ricos do lixo comercial, industrial, tecnológico, político e virtual. Ó, São Cosme e São Damião, protegei as crianças do tráfico de drogas e do tráfico de asneiras da internet. Protegei as que não têm brinquedos e as que ganham brinquedos importados, que brincam sozinhos sem precisar de crianças.

Protegei as crianças dos pais separados e as dos pais que não se separam, mas dizem e fazem coisas piores do que as dos pais separados. Ó São Cosme e São Damião, protegei do descaso, do desleixo e da irresponsabilidade, as crianças que treinam nos clubes de futebol. Protegei os que moram perto das barragens e os que moram nas grandes cidades.

Protegei os meninos e as meninas do coronavírus, da gripe suína, da dengue, da zika vírus, das balas perdidas, do funk carioca, da música sertaneja e do Big brother Brasil. Velai pelos mirradinhos, que não têm nada para comer, e pelos que, tendo demais, ficam obesos.

Ó São Cosme, ó, São Damião, livrai as crianças das reformas de ensino promovidas por ignaros. Protegei da competência da publicidade, que induz algumas a roubarem tênis de marca das outras. Iluminai a cabecinha delas para que percebam que tênis é um sapato de borracha que produz muito chulé.

Protegei os meninos e as meninas dos pais covardes, que bebem e ficam valentes. Velai pelos que são órfãos de fato ou são órfãos de pais vivos. Protegei dos governantes que devastam as florestas e agem como se todos os dias fossem o Dia da Mentira. Velai os filhos dos pobres e dos pobres de espírito. Ó, São Cosme, ó, São Damião, protegei os meninos e as meninas do Brasil”.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação