CRIME

Operação da PCDF prende falso policial que sequestrava traficantes e roubava drogas

O homem de 36 anos portava uma carteira funcional da PMGO falsa, distintivo e até arma de fogo. Ele responderá pelos crimes de milícia, sequestro, uso de documento falso, extorsão, porte de arma de fogo e tráfico de drogas

Darcianne Diogo
postado em 24/09/2020 01:24
 (crédito: PCDF/Divulgação)
(crédito: PCDF/Divulgação)

Um homem de 36 anos, que se passava por policial militar de Goiás, foi alvo da operação Loki, coordenada pela 19° Delegacia de Polícia (P Norte), na noite desta quinta-feira (24/7). O suspeito, segundo as investigações, sequestrava traficantes da região de Ceilândia e roubava as drogas dos criminosos. A informação foi repassada em primeira mão ao Correio pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF).

A investigação começou após os policiais receberem uma denúncia anônima de que um homem estaria se identificando, falsamente, como policial militar de Goiás. O denunciante informou que o suposto militar portava uma carteira funcional da PMGO falsa, distintivo e até arma de fogo.

Conforme consta na ocorrência, o acusado sequestrava traficantes moradores de Ceilândia e do Setor Habitacional Sol Nascente, no intuito de extorqui-los e roubar dinheiro e drogas. Após diligências, policiais da 19° DP, então, souberam que o suspeito iria agir nesta quinta-feira (24/9). Após monitoramento policial, os investigadores perceberam que o falso policial estaria colhendo informações sobre um morador da QNO 6. O homem teria passado, inclusive, várias vezes na residência da vítima, no local de trabalho dela, anotando dados e tirando fotos.

Prisão

Com as informações, os agentes e delegados da 19° DP montaram equipes, que foram dividas e encarregadas de monitorar a casa do possível alvo e o falso policial. Por volta das 21h30 desta quinta-feira, um dos grupos de policiais informou que o acusado abordou a vítima, sequestrando-o e forçando a entrar no veículo.

Assim que o veículo utilizado pelo falso policial estacionou na frente da casa do alvo, policiais renderam tanto suspeito quanto a vítima, que, de acordo com as investigações, era um traficante da região.

Com o falso militar, os investigadores encontraram uma carteira funcional da PMGO falsa, chave de algema e uma pistola PT 100, calibre .40. Aos policiais, a vítima sequestrada confirmou que o homem teria se identificado como policial. Disse, ainda, que ele sabia que na casa havia maconha armazenada.

No interior da residência, foram encontrados 24 Kg de maconha escondidos em um compartimento em cima do armário.

Constatou-se que o acusado responde a dois inquéritos por porte de arma, injúria e calúnia. Agora, ele responderá pelos crimes de milícia, sequestro, uso de documento falso, extorsão, porte de arma de fogo e tráfico de drogas. O traficante sequestrado responderá por tráfico de drogas.

Operação

O nome da operação, Loki, é um deus da mitologia nórdica. É um deus da trapaça e da travessura, também está ligado à magia e pode assumir a forma que quiser.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação