Piscina

Tempo seco e quente motivou tímido comparecimento aos clubes do DF

No primeiro sábado em que as piscinas de clubes foram liberadas para fins recreativos, a população se mostrou ressabiada em aproveitar oportunidade

Correio Braziliense
postado em 26/09/2020 20:42 / atualizado em 26/09/2020 20:57
 (crédito: Carlos Vieira/ CB DA Press)
(crédito: Carlos Vieira/ CB DA Press)

Pouco mais de uma semana depois de os termômetros acusarem a maior temperatura do ano no DF, 34,6°C, os brasilienses tiveram a oportunidade de ocupar, para fins recreativos, as piscinas de clubes da capital. Mas, ainda que sentindo na pele a temperatura de 33°C, não foram ávidos pela autorização da nova diversão.

Quem frequentou os clubes, claro, teve que se readequar aos tempos diferenciados e às novas medidas. Piscinas divididas em raias, para assegurar distanciamento; aferição de temperatura e agendamento de horários de uso foram medidas incorporadas à rotina do novo normal.

Consultado pelo Correio, o infectologista Juvil Ribeiro alerta para a realidade do descarte de risco zero, em lugar nenhum, caso sejam descumpridas orientações sanitárias. O revezamento de usuários do lazer nas piscinas está entre as recomendações.

Na onda do calor, amenizado ou não, os brasilienses podem se preparar para mais uma semana quente e seca, segundo registros do Instituto Nacional de Meteorologia. O tempo quente e sem chuva deve perdurar. Há previsão de que até a segunda quinzena de outubro a umidade oscile entre 65% e 15%.

  • Movimento nas piscinas do DF
    Movimento nas piscinas do DF Foto: Carlos Vieira/ CB DA Press
  • Movimento nas piscinas do DF
    Movimento nas piscinas do DF Foto: Carlos Vieira/ CB DA Press
  • O movimento nas piscinas do DF
    O movimento nas piscinas do DF Foto: Carlos Vieira/ CB DA Press
  • O movimento nas piscinas da capital
    O movimento nas piscinas da capital Foto: Carlos Vieira/ CB DA Press
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação