justiça

Homem deve pagar R$ 3 mil de indenização por comentário ofensivo em rede social

O réu foi julgado por comentário de cunho ofensivo em perfil no Instagram a uma mulher. O juiz alegou ser "incalculável" as consequências da postagem, em rede pública

Correio Braziliense
postado em 29/09/2020 22:44
 (crédito: Júlio Lapagesse/CB/D.A Press)
(crédito: Júlio Lapagesse/CB/D.A Press)

O juiz Renato Magalhães Marques do 1º Juizado Especial Cível de Taguatinga condenou um homem a pagar indenização de R$ 3 mil por danos morais uma mulher vítima de ofensas em uma rede social. Cabe recurso da decisão.

Em ação, a autora alegou que o réu a ofendeu em mensagem publicada em um perfil do Instagram voltado para mulheres biomédicas. “Está(sic) menina não é, e nunca foi analista em local algum. Muito recentemente, passou pela empresa que eu trabalho e o resumo, desastre total”, declarou o acusado, em comentário.

O magistrado confirmou o cunho ofensivo da declaração. “Se retira do fato de a autora já ter sido sim contratada para a função de analista de análise clínica, ao contrário do afirmado pelo réu , bem como da expressão utilizada para definir o seu desempenho desastre total”, explicou o juiz.

Além disso, Renato Magalhães Marques acrescentou ser incalculável os efeitos das declarações do rapaz. “Tendo em vista que foi um comentário público em página específica de profissionais da área de biomedicina com mais de treze mil seguidores”, disse.

O réu, embora regularmente citado e intimado para a audiência de conciliação, não compareceu ao ato e nem apresentou qualquer justificativa para ausência dele. “A parte demandada, contudo, deixou de oferecer defesa e produzir tal prova. Nesse contexto, só lhe resta arcar com as consequências de sua conduta”, completou o juiz do 1º Juizado Especial Cível de Taguatinga.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação