Jornal Correio Braziliense

Inovação

Covid-19: universitários criam aparelho que elimina o vírus do ar

Equipamento é capaz de filtrar as moléculas do novo coronavírus presentes no ar e assim diminuir as chances de contágio, principalmente em ambientes hospitalares

Docentes e estudantes da Universidade de Brasília (UnB) e do Instituto Federal de Brasília (IFB) estão desenvolvendo um protótipo de equipamento de ventilação capaz de filtrar moléculas do novo coronavírus que estejam circulando pelo ar. O aparelho de baixo custo foi pensado para ambientes hospitalares, onde há uma maior vulnerabilidade de contágio por covid-19.

A capacidade de descontaminação do ar pelo dispositivo foi testada por testes biológicos que comprovaram sua eficiência. Atualmente, a equipe desenvolvedora está focada em outros experimentos para garantir a qualidade do aparato.

"Estamos montando um novo protótipo para redução do ruído e fazendo testes de controle de vazão, de emissão, de desempenho, de autonomia e de redução de partículas em contexto geral", explica Izabel Cristina Rodrigues, coordenadora do projeto e professora de Farmácia da Faculdade UnB Ceilândia.

Um dos representantes do IFB no projeto explica como a máquina funciona: "O equipamento filtra o ar utilizando basicamente a aceleração, projeção centrífuga e sedimentação, tratando 40 litros de ar por minuto, com um protótipo de pequeno porte. Estamos fazendo um modelo mais robusto para o dia a dia, com proteção para questões de ruído, limpeza, movimentação e tempo de operação", conta o professor Yuri Cesar Toledo.

Ao final, serão avaliados resultados, correções, métodos empregados e validação das atividades em encontros laboratoriais e por videoconferência. O projeto ainda conta com reuniões semanais para alinhamento das ações.

Para Yuri Toledo, o uso do equipamento irá favorecer a eliminação do agente infeccioso logo no início da cadeia de contaminação. "A ideia é que esse contaminante seja eliminado antes de tocar nas máscaras, nas roupas, nos cabelos, nas superfícies e outros meios que possam servir de abrigo para o novo coronavírus", detalha.

Ele acredita que, desta forma, o projeto trará contribuições para a população em geral, principalmente para os profissionais que atuam no Sistema Único de Saúde (SUS), sujeitos diariamente aos riscos de contrair a covid-19.

"O benefício é para a sociedade como um todo, pois [essa filtragem] nos permitirá maior liberdade para circular por corredores, elevadores, recepções, salas de triagem clínica, atendimento ao público, centros de alimentação, centros comerciais e outros", destaca.

A intenção é que o aparelho, posteriormente, também possa ser utilizado em outros espaços de grande circulação de pessoas. A projeção leva em consideração o baixo custo financeiro, além da fácil execução e produção rápida com resultados eficientes e eficazes.

Financiamento

O projeto conta com financiamento aprovado em edital lançado pelo Comitê de Pesquisa, Inovação e Extensão de combate à covid-19 (Copei) para viabilizar apoio à execução de projetos de pesquisa, extensão e inovação desenvolvidos na UnB com foco no enfrentamento ao novo coronavírus.

No entanto, a equipe ainda necessita de incentivo para o andamento do projeto. Para realizar doação de recursos financeiros, materiais, equipamentos ou propor parcerias, é só entrar em contato pelo e-mail yuri.toledo@ifb.edu.br.

É possível contribuir ainda com recursos para o fundo de doação a projetos de combate à covid-19 da UnB. A iniciativa foi criada pelo Copei, em parceria com Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos (Finatec).

Para colaborar com serviços, materiais ou equipamentos, é preciso, primeiro, articular a ação junto ao Decanato de Pesquisa e Inovação (DPI), pelo e-mail dpi@unb.br.

Com informações da Secom UnB