Coronavírus

Tribunais de Brazlândia e Ceilândia retomam julgamentos presenciais

Fornecimento de álcool em gel aos presentes na sessão, uso obrigatório de máscara facial e distanciamento de, no mínimo, 1,5m entre os presentes, são alguns dos cuidados implementados para evitar o contágio da covid-19

Darcianne Diogo
postado em 02/10/2020 22:34 / atualizado em 02/10/2020 22:37
 (crédito: Vinicius Cardoso Vieira/Esp. CB/D.A Press)
(crédito: Vinicius Cardoso Vieira/Esp. CB/D.A Press)

Os Tribunais do Júri de Brazlândia e Ceilândia retomaram os julgamentos suspensos em decorrência da pandemia causada pelo novo coronavírus. As sessões plenárias retornaram desde setembro, com as devidas medidas de restrição sanitárias, segundo informou o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT).

Fornecimento de álcool em gel aos presentes na sessão, uso obrigatório de máscara facial e distanciamento de, no mínimo, 1,5m entre os presentes, são alguns dos cuidados implementados para evitar o contágio da covid-19. Foi disponibilizado, ainda, servidor de limpeza para atuar na desinfecção das áreas comuns e plenários, sempre que o magistrado julgar necessário.

A sessão é fechada ao público e só podem participar aqueles considerados indispensáveis à realização do Júri. As testemunhas e réus podem ser ouvidos por meio de videoconferência e interessados no processo podem acompanhar o julgamento de maneira virtual.

Retorno


O Tribunal de Brazlândia retomou as atividades no final de setembro, com mutirão de esforço concentrado para dar celeridade aos processos de crimes contra a vida cometidos na região. Serão, ao todo, 18 processos julgados em plenário, durante os meses de outubro e novembro.

Em Ceilândia, o retorno dos julgamentos presenciais começou nesta quinta-feira (1°/10) com a análise de um processo de homicídio ocorrido no Sol Nascente, em junho de 2019. O acusado acabou condenado a 12 anos de prisão, em regime inicial fechado e não poderá recorrer em liberdade. De acordo com os autos, o réu efetuou diversos golpes de faca contra a vítima, em razão de desavença pretérita envolvendo um de seus familiares.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação