VIOLÊNCIA

Mulher é salva das mãos do ex

Jovem de 20 anos foi vítima de tentativa de feminicídio após se recusar a reatar relacionamento. O agressor, de 22 anos, jogou gasolina no corpo da mulher e ameaçou atear fogo pouco antes de policiais militares chegarem para resgatá-la

Darcianne Diogo
postado em 03/10/2020 23:10
 (crédito: Darcianne Diogo/CB/D.A Press)
(crédito: Darcianne Diogo/CB/D.A Press)

O que era para ser uma tarde de diversão tornou-se pesadelo para uma jovem de 20 anos agredida pelo ex-namorado, ontem. A vítima saiu com algumas amigas para aproveitar o dia quente em um quiosque da Prainha do Lago Norte. O encontro, no entanto, foi interrompido pela chegada do rapaz, de 22 anos, com outros dois colegas. A jovem foi obrigada a entrar no carro, levou tapas, puxões de cabelos e teve o corpo coberto por gasolina. Os três foram presos em flagrante pela Polícia Militar. As identidades não serão reveladas para resguardar a vítima.

Aos investigadores da 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá), ela relatou que, enquanto estava com as amigas, o ex chegou agressivamente, a puxou com força e a levou para perto do carro, um Apollo vermelho. Os dois estavam separados há um mês, após relacionamento que durou dois anos, mas o rapaz insistia em retomar o namoro. Diante da recusa da vítima, o agressor puxou uma faca e a forçou entrar no veículo. Os dois amigos dele acompanharam a violência, mas nada fizeram, e as colegas dela, assustadas, permaneceram no quiosque.

No carro, a vítima ficou no banco da frente, enquanto os dois rapazes se sentaram atrás. O suspeito seguiu para o Setor de Mansões do Lago Norte MI 7, um local isolado e sem movimentação de pedestres. Na delegacia, a jovem disse que, a todo momento, o autor a ameaçava de morte. Inconformado com as negativas da vítima para reatar, o acusado pegou um galão de gasolina e derramou o líquido na cabeça e no corpo dela.

“Uma pessoa que estava na Prainha, presenciou a violência e acionou a Polícia Militar. Diante disso, demos início às buscas pelo veículo. Fomos até o fim do Paranoá, mas não encontramos e fizemos o patrulhamento em toda a região próxima ao Lago Norte, até que entramos em uma rua e nos deparamos com o carro”, explicou o sargento da PMDF Fábio Moura.

No momento em que a viatura chegou ao local, a jovem saiu correndo de dentro do carro, em direção aos policiais, chorando, pedindo socorro e dizendo que o ex atearia fogo nela. “Ela estava com forte odor de gasolina. Nós nos aproximamos, abordamos os três suspeitos e encontramos, ainda, drogas no interior do carro. O ex-namorado estava com um isqueiro na mão e, para nós, negou a tentativa de feminicídio, mas levamos os três à 6ª DP”, detalhou o policial.

As roupas da vítima passarão por exame pericial. A jovem ficou com arranhões e machucados pelo pescoço. O Correio foi até o local do crime e encontrou o carro usado pelos criminosos ainda no gramado. O veículo estava em péssimas condições e precisava de ligação direta para funcionar.

Na delegacia, os três usaram o direito de permanecerem em silêncio e optaram por se manifestar apenas em juízo. O ex-namorado foi preso em flagrante, enquadrado na Lei Maria da Penha e por tentativa de feminicídio. Os outros dois jovens responderão por tentativa de homicídio.

Outro caso

Outra mulher, moradora de Brazlândia, foi salva de uma tentativa de feminicídio por uma pessoa desconhecida. O crime aconteceu na noite de sexta-feira e terminou com a prisão em flagrante de um homem de 31 anos. De acordo com os investigadores da 18ª Delegacia de Polícia (Brazlândia), a vítima tem 36 anos e voltava da casa de uma amiga com o companheiro quando os dois começaram a discutir no meio da rua.

Segundo o delegado-adjunto da 18ª DP, Ronney Teixeira, durante a briga, o homem tentou enforcar a companheira. A mulher, então, sentou-se no meio fio e, apavorada, começou a chorar. “Pouco tempo depois, o acusado foi em casa, pegou uma faca e correu em direção à vítima, ameaçando-a de morte. Uma testemunha que passava pela rua parou o carro, colocou a mulher no veículo e a levou direto para a delegacia, impedindo o crime”, detalhou o investigador. Em ação conjunta, as polícias Militar e Civil prenderam o suspeito. Ele responderá pelo crime de tentativa de feminicídio e, caso seja condenado, poderá pegar pena de 12 a 30 anos de prisão.

DF tem 3.276 mortes por covid-19

A Secretaria de Saúde notificou mais 741 casos de coronavírus ontem. A capital federal registra o total de 194.783 pessoas infectadas pela covid-19 até o momento. Destas, 184.477 (94,7%) estão recuperadas e outras 3.276 morreram em decorrência de complicações da doença — apenas ontem foram notificadas 18 mortes. Os dados são do mais recente boletim epidemiológico. Entre as regiões com maior número de casos está Ceilândia, com 23.973, seguida de Taguatinga, com 16.083 registros, e do Plano Piloto, com 15.348.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação