Mais de 800 PMs e bombeiros serão nomeados no DF até o fim de 2020

Em entrevista ao CB Poder, André Clemente comentou que DF deve recompor as forças de trabalho por meio de concursos, apesar do projeto de redução do Estado. Secretário calculou ainda a arrecadação com o Refis

Alan Rios
postado em 19/10/2020 14:52 / atualizado em 19/10/2020 14:53
André Clemente comentou ainda sobre impacto do Refis nos cofres públicos -  (crédito: Ana Rayssa/DA/CB Press)
André Clemente comentou ainda sobre impacto do Refis nos cofres públicos - (crédito: Ana Rayssa/DA/CB Press)

O secretário de Economia, André Clemente, afirmou que mais 500 policiais militares e cerca de 370 bombeiros aprovados em concursos públicos serão nomeados até o fim de 2020 no Distrito Federal. Clemente comentou sobre a necessidade de “recompor as forças de trabalho” em entrevista ao CB.Poder — parceria do Correio com a TV Brasília — na tarde desta segunda-feira (19/10).

“Temos áreas há mais de 20 anos sem concurso. A categoria da receita tributária, por exemplo, com os auditores da receita. Há um em andamento agora. Você vê que é uma atividade típica, que vai buscar recursos, mas estava comprometida a eficácia pela falta dessa mão de obra. Assim como policiais militares também. Até o final do ano estaremos chamando mais 500. Bombeiros também, cerca de 370 novos serão chamados até o fim do ano”, afirmou.

André Clemente reconheceu que há um projeto de redução do tamanho do Estado, com o auxílio de estruturas com sistemas e tecnologias que ajudam a reduzir a quantidade necessária de mão de obra, mas que “têm áreas em que são imprescindíveis o trabalho humano”. “A população cresceu e o Estado diminuiu sem ser de forma planejada. O Estado tem que estar preparado para atender as necessidades da população”, pontuou.

Refis

Sobre o novo Programa de Incentivo à Regularização Fiscal do Distrito Federal (Refis-DF 2020), que voltou à Câmara dos Deputados na última semana, o secretário avaliou que o texto é ideal para o momento atual. “Ele é importante para Brasília porque saneia empresas e aumenta a arrecadação. No momento em que estamos, ainda enfrentando a pandemia, os efeitos da saúde, sociais e econômicos, é fundamental fazer esse resgate da capacidade fiscal das empresas e arrecadar mais impostos para fechar o ano com equilíbrio fiscal”.

Segundo cálculos da pasta, o valor total gerado pelo Refis neste ano é de cerca de meio bilhão. “Essa é uma inovação. É um Refis muito agressivo e adequado às necessidades atuais da população. Inclusive, esses parâmetros foram até utilizados pela União para descontos no principal de impostos. Então, nossa expectativa é de R$ 500 milhões ainda este ano a mais nos cofres públicos”, analisou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação