DEBATE

Fecomércio quer corredor cultural na W3 Sul, com mais espaço para carros

Desde junho, quando a interdição na W3 Sul aos domingos começou, empresários vivem queda de braço com o GDF. Federação enviará ao Executivo local uma nova proposta para a via

Correio Braziliense
postado em 21/10/2020 23:02 / atualizado em 21/10/2020 23:07
Francisco Maia, presidente da Fecomércio-DF, durante reunião com empresários nesta quarta-feira (21/10) -  (crédito: Cristiano Costa/Fecomércio-DF)
Francisco Maia, presidente da Fecomércio-DF, durante reunião com empresários nesta quarta-feira (21/10) - (crédito: Cristiano Costa/Fecomércio-DF)

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Distrito Federal (Fecomércio-DF) vai tentar solucionar as divergências entre comerciantes e a população, no que diz respeito ao projeto da rua do lazer na W3 Sul. A iniciativa vale aos domingos e tem provocado embates entre donos de lojas e o Executivo local.

Nesta quarta-feira (21/10), após reunião com empresários e sindicatos, a Fecomércio-DF decidiu enviar um projeto ao Governo do Distrito Federal (GDF) com uma nova proposta para a área. O encontro ocorreu na sede da entidade, no Setor Comercial Sul (SCS).

A ideia é criar um corredor cultural entre as quadras 504 e 508 Sul. Assim, o restante da avenida ficaria aberto para os carros. Segundo a Fecomércio-DF, isso resolveria o problema dos mercados que perdem vendas aos domingos.

O projeto visa à criação de feiras de gastronomia, artesanato, de produtos agrícolas, além de apresentações artísticas. Como parte do projeto, nesta terça-feira (20/10), o Sesc-DF iniciou um processo de licitação para reforma da filial da entidade na 504 Sul. 

Em 9 de junho, o governador Ibaneis Rocha (MDB) tomou a decisão de fechar a W3 Sul para atividades recreativas aos domingos. Desde então, a medida tem sido alvo de questionamento por parte de moradores e donos de estabelecimentos, que criticam a ideia e se mostram preocupados quanto à queda nas vendas. 




Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação