Economia

Vendas de carros de passeio e motos tiveram alta em outubro, no DF

Segundo a Associação das Empresas Revendedoras de Veículos do Distrito Federal, as vendas de carros leves e motos aumentaram 12,6% e 5,7%, respectivamente, em relação ao mês anterior

Samara Schwingel
postado em 06/11/2020 17:24 / atualizado em 06/11/2020 17:26
Segundo a Agenciauto, a alta nos serviços de entregas impactou positivamente na venda de motos -
Segundo a Agenciauto, a alta nos serviços de entregas impactou positivamente na venda de motos -

A venda de carros de passeo leves e motos registraram alta em outubro. De acordo com dados da Associação das Empresas Revendedoras de Veículos do Distrito Federal (Agenciauto), os índices cresceram 12,6% e 5,7%, respectivamente, em relação ao mês anterior. 

Presidente da associação, José Rodrigues Neto considera que os números são o início de uma recuperação do setor e está otimista em relação aos próximos meses. "Isso nos demonstra que a confiança do consumidor está boa e que estamos seguindo pelo caminho certo", diz. 

Neto avalia que a pandemia de covid-19 pode ter ajudado o segmento a se recompor. "As altas nas vendas de carros leves indicam que as pessoas estão querendo deixar de usar transportes públicos ou de aplicativos, acredito que por causa da segurança sanitária", afirma. Já em relação às motos, o presidente da Agenciauto considera que a alta dos delivery melhorou o índice. Os juros baixos seriam outra fator que contribuiu para as vendas.

Comércio on-line 

José Rodrigues Neto ressalta que a adequação das lojas de automóveis à situação sanitária impactou nos números. Segundo ele, a Agenciauto investiu em plataformas de compras on-line. "Assim, o consumidor não precisa sair de casa para nada e, ainda, recebe o carro em sua residência", explica. 

Para a segurança dos clientes, o presidente da Agenciauto conta que a associação disponibiliza um selo de confiabilidade. "Vale a pena procurar por lojas que tenham este selo, pois são estabelecimentos vinculados e confiáveis", completa. 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação