Eixo capital

Ana Maria Campos
postado em 06/11/2020 23:11
 (crédito: .)
(crédito: .)

Invasão começou na Procuradoria-Geral do DF

A equipe de policiais civis e especialistas em TI destacada para investigar a ação de hackers no sistema de informática do GDF recebeu uma mensagem com pedido para que entrassem em contato. Para isso, enviou um endereço de e-mail. Era o início de uma negociação para pedido de resgate, que seria pago com bitcoins. Mas os hackers não conseguiram criptografar a rede. Portanto, não havia nem o que negociar. Assim que perceberam a movimentação criminosa no sistema do STJ, os técnicos paralisaram os servidores por 36 horas, como estabelece o protocolo em situações de ameaça de invasão. Se não fosse assim, o estrago poderia ser imenso, com perda de dados e vazamento de informações. O caminho dos hackers no sistema do GDF já foi identificado. Sabe-se que a invasão ocorreu por uma máquina da Procuradoria-Geral do DF. Mas a identidade pode demorar ou nunca ser descoberta.

 

A pergunta que não quer calar….
Se o candidato democrata fosse Bernie Sanders, considerado mais à esquerda que Joe Biden, o resultado da eleição para a Casa Branca seria o mesmo?

 

Liberação de leitos

Não faltou leito nem tratamento intensivo para pacientes com covid-19 no DF, mas nesta semana 70 pacientes aguardavam uma vaga em UTI nos hospitais públicos. A força-tarefa do Ministério Público do DF, coordenada pelo procurador dos Direitos do Cidadão, Eduardo Sabo, quer um remanejamento para liberação de leitos para outros tipos de pacientes. Pelo menos, até que surja uma eventual segunda onda de contaminação pelo novo coronavírus.

 

Promotor autuou Cafe de La Musique

O promotor Thiago Carriço, que atuou na denúncia do caso de estupro da blogueira Mariana Ferrer, foi bastante atuante na fiscalização de bares e boates em Florianópolis. Curiosamente, ele autuou e tentou fechar o Cafe de La Musique, em Jurerê, pela realização de uma festa com música alta sem autorização específica. Foi em 2008. Dez anos depois, na mesma casa noturna, houve o episódio denunciado pela influencer como abuso sexual.

 

Atendimento psicológico para alunos

Em tempos de pandemia, quem não se entristeceu em algum momento? O Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente recomendou ao GDF que adote providências para implantação do atendimento de psicologia e de serviço social na educação básica da rede pública de ensino por meio de equipes multiprofissionais. A recomendação é de que seja criada, no mínimo, uma equipe em cada região administrativa do DF. Trata-se de atendimento à Lei Federal n°13.935/2019, segundo a qual os estados devem adotar a medida no prazo de um ano a partir da sanção pelo presidente Jair Bolsonaro. Ou seja, a Secretaria de Educação tem até 11 de dezembro, pouco mais de um mês, para cumprir a lei. A diretriz não está relacionada diretamente ao impacto da covid no dia a dia dos estudantes, mas esse é um bom momento para começar.

 

Autoritarismo nas universidades

Ex-senador, ex-governador do DF, ex-ministro da Educação e ex-reitor da UnB, Cristovam Buarque (Cidadania-DF) criticou a postura de Jair Bolsonaro em relação às universidades. Na última quinta-feira, o presidente nomeou para a reitoria da Universidade da Paraíba o terceiro colocado da lista, o que pode acontecer na UnB. “Ignorar o nome escolhido para reitor pela comunidade universitária é uma das maiores provas do autoritarismo retrógrado que governa, hoje, contra o futuro do Brasil“, disse Cristovam.

 


Só papos

“O que mais admiro em você é a sua coerência e também a coragem de dizer o que pensa sem medo de desagradar a quem quer que seja. Você é a vítima dessa prática bárbara de cancelamento por parte de esquerdistas intolerantes e desonestos. Mas, você não se vitimiza. É digno”

Deputada Bia Kicis (PSL-DF), dirigindo-se ao colunista Rodrigo Constantino que defendeu punição a mulheres estupradas

 


“Constantino sempre foi machista. Quando apresentei o PL para garantir absorventes às mulheres mais vulneráveis, lembro bem de todo o ódio que veio travestido de opinião. As demissões dele mostram que, como sociedade, nós não podemos mais tolerar preconceito e falso moralismo!”

Deputada Tábata Amaral (DEM-SP), sobre o ideólogo de direita demitido depois do comentário machista

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação