Saúde

Unidade de genética do Hmib trata 1,2 mil crianças com doenças raras

Centro é referência no tratamento de malformações, doenças metabólicas e deficiência intelectual

Correio Braziliense
postado em 11/11/2020 15:03
 (crédito: Breno Esaki/Saúde DF)
(crédito: Breno Esaki/Saúde DF)

Ao longo de onze meses, 1.231 crianças com diagnosticadas com doenças raras foram atendidas no O Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib). A área de atendimento especializado foi inaugurada em dezembro do ano passado.

A ala é destinada a crianças de até nove anos e 11 meses com malformação, doenças metabólicas e deficiência intelectual. Elas são encaminhadas ao Hmib por profissionais das Unidades Básicas de Saúde (UBS). Além do Hmib, o Hospital de Apoio de Brasília (HAB) atende as crianças a partir dos 10 anos.

A Unidade de Genética conta com geneticistas, neurologistas, endocrinologistas, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional, psicólogo, odontopediatra e nutricionista. Com o teste do pezinho, ao qual todos os recém-nascidos têm direito, é possível diagnosticar o quadro de doença rara. No Distrito Federal, pelo menos 100 são identificadas anualmente.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), as doenças raras são aquelas que afetam 1,3 indivíduos em cada grupo de 2 mil pessoas. Em quase 80%, as doenças são genéticas. As outras 20%  têm causas infecciosas, virais ou degenerativas. Cerca de 8% da população mundial é acometida por um das 8 mil tipos de doenças raras.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação