Injúria racial

Frederick Wassef é investigado por injúria racial contra mulher do DF

Segundo as investigações, o ex-advogado da família Bolsonaro teria chamado a funcionária de "macaca". O caso foi registrado na 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul)

Darcianne Diogo
postado em 12/11/2020 11:01 / atualizado em 12/11/2020 11:36
 (crédito: Sergio Lima/AFP)
(crédito: Sergio Lima/AFP)

O ex-advogado da família do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) Frederick Wassef é investigado por ofender uma atendente de uma pizzaria de um shopping do DF com comentários racistas. O caso aconteceu no domingo (8/11), mas só foi registrado pela vítima na noite de quarta-feira (11/11), na 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul).

O Correio teve acesso ao boletim de ocorrência registrado pela vítima. Em depoimento, a funcionária, do estabelecimento afirmou aos policiais que Wassef frequenta o estabelecimento regularmente, e é conhecido por agir de forma “arrogante” e por ofender os funcionários.

No domingo, quando Wassef chegou na pizzaria, a vítima comunicou à gerência que não lhe atenderia. Segundo consta na ocorrência policial, quando deixava a pizzaria, o suspeito se dirigiu à vítima para fazer uma queixa. “Essa pizza não tá boa! Você comeu?”. A mulher respondeu que não e o homem retrucou em voz alta: “Você é uma macaca! Você come o que te derem!”. O caso está em investigação como injúria racial. A reportagem tenta contato com o advogado, para que ele se manifeste sobre as acusações. 

Outro caso

A mulher trabalha há três meses no estabelecimento que fica em shopping na Asa Sul. Segundo relatou, o advogado a humilhou em outra ocasião, em outrubro deste ano e, por isso, pediu a gerência para não atendê-lo no fim de semana. 

Conforme consta na ocorrência Wassef teria pegado no braço da atendente e lhe puxado até o balcão. Neste momento, a vítima, mostrou ao suspeito as caixas vazias como mostruário, na intenção de explicar os tamanhos das pizzas. Wassef teria jogado a embalagem no chão e ordenado que a funcionária pegasse. Constrangida, a mulher pegou o objeto. 

Posicionamento

Procurada pela reportagem, a Pizza Hut esclareceu, nesta quinta-feira (12/11), que, “em razão dos recentes episódios de agressões verbais e físicas, bem como de discriminação racial/social, ocorridos na unidade da Pizza Hut localizada no Píer 21, em Brasília, por parte de um cliente contra funcionários da loja, a Pizza Hut Brasil vem a público manifestar seu absoluto repúdio aos fatos ocorridos e seu apoio aos funcionários agredidos e ao franqueado da referida unidade.”

A empresa informou que vem dando todo o suporte para os colaboradores e parceiros agredidos “para que os mesmos façam valer os seus direitos e para que sejam tomadas as medidas necessárias para evitar que tais atos se repitam, entre as quais a comunicação dos fatos para as autoridades competentes mediante o registro de um boletim de ocorrência contra o agressor.”

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação