Segurança Pública

Vendedor sobrevive a assalto porque bala acertou panela antes de atingi-lo

Segundo as investigações, ao que tudo indica, o homem só sobreviveu porque, antes de atingí-lo, o disparo de arma de fogo pegou em uma das panelas que ele estava oferecendo para venda

Darcianne Diogo
postado em 19/11/2020 10:20 / atualizado em 19/11/2020 11:12
 (crédito: Divulgação/Polícia Civil)
(crédito: Divulgação/Polícia Civil)

Policiais civis da 35° Delegacia de Polícia (Sobradinho 2) buscam informações para localizar Mateus Vidal Freire, de 25 anos, mais conhecido como "Bobina". O jovem é alvo da operação Gestas e, segundo as investigações, tentou matar um vendedor de panelas na Fercal, no sábado (14/11). Na manhã desta quinta-feira (19/11), policiais cumpriram mandado de busca e apreensão. O crime é investigado como tentativa de latrocínio (quando na ação, o criminoso tenta matar a vítima).

Imagens das câmeras de segurança registraram o momento em que o vendedor de panelas entra em um beco. Em seguida, as filmagens mostram Mateus e outro jovem seguindo a vítima. "O senhor, morador de Ceilândia, que estava na Fercal vendendo panelas de porta em porta. Os suspeitos se aproveitaram do momento em a vítima entrou em um beco e tentaram assaltaram. A vítma gritou por socorro e um dos suspeitos efetuou um disparo de arma de fogo", detalhou o delegado-chefe da 35° DP, João Ataliba.

Salvo pela panela

A dupla fugiu em seguida sem levar nenhum pertence da vítima. As câmeras de segurança mostram a hora em que os dois saem correndo do beco. O vendedor foi socorrido e encaminhado ao Hospital Regional do Paranoá, onde recebeu os atendimentos médicos. 

Segundo as investigações, ao que tudo indica, o homem só sobreviveu porque, antes de atingi-lo, o disparo de arma de fogo pegou em uma das panelas que ele estava oferecendo para venda.

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) divulgou a foto do suspeito, que é considerado procurado. Mateus tem três inquéritos policiais pela prática do crime de furto qualificado. Informações sobre o paradeiro de Mateus podem ser repassadas pelo número 197, da PCDF.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE