Violência Doméstica

Homem é preso após ameaçar mãe e avô por dinheiro para comprar drogas

Ele foi preso em Samambaia Sul após flagrante com base na lei Maria da Penha

Correio Braziliense
postado em 25/11/2020 09:27 / atualizado em 25/11/2020 10:10
 (crédito:  Fernando Lopes/CB/D.A Press)
(crédito: Fernando Lopes/CB/D.A Press)

Na tarde desta terça-feira (24/11), um homem foi preso após flagrante com base na lei Maria da Penha. A prisão ocorreu em Samambaia Sul. Uma das vítimas, que é atendida pelo Programa de Prevenção Orientada à Violência Doméstica (Provid), acionou a equipe da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF).

De acordo com a vítima, o irmão ameaçava a mãe e o avô de 95 anos pedindo dinheiro para comprar drogas. Caso não conseguissem, o rapaz teria dito que jogaria óleo e água quente nelas. A equipe da Provid - que já atende a família - chegou rapidamente ao local e prendeu o autor.

O homem foi preso em flagrante por descumprimento das medidas protetivas impostas e encaminhado à 26ª Delegacia de Polícia (DP). Por fim, a PMDF constatou que havia um pedido de prisão em desfavor dele também com base na lei Maria da Penha.

Serviço | Onde denunciar, buscar apoio e proteção

Confira a rede de proteção, prevenção, repressão, políticas públicas e canais de denúncia de violência contra a mulher no DF

Empreende mais mulher

Espaço com psicólogos e assistentes sociais capacitados para mapear as necessidades de trabalho e as habilidades profissionais da mulher. O atendimento é individualizado e prevê a elaboração de um plano personalizado, feito pela equipe da Secretaria da Mulher. Também é feito o encaminhamento aos cursos oferecidos pela pasta ou aos serviços prestados pelos parceiros, incluindo Agência do Trabalhador, BRB, Simplifica PJ e o Prospera. Agendamento: (61) 99206-6788 ou empreende@mulher.df.gov.br.

Mulheres Hipercriativas

É um projeto da Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI) e da Secretaria de Estado da Mulher do DF que tem como objetivo formar uma rede de aprendizagem, com a colaboração e parceria de mulheres. As inscrições vão até sexta-feira, pelo site: oei.org.br/mulheres-hipercriativas.

Indicadores

A Secretaria de Segurança Pública instalou a Câmara Técnica de Monitoramento de Homicídios e Feminicídios. Tem como objetivo elaborar diagnósticos criminal e criminológico dos crimes. A partir dele, o governo adequa as políticas públicas para cada região administrativa.

Capacitação

Treinamento de 1.815 profissionais da segurança pública com foco no atendimento às mulheres vítimas de violência, enfrentamento ao feminicídio e à violência doméstica e familiar. Deste total, 724 eram policiais militares recém-ingressados na Polícia Militar (PMDF).

Campanha #MetaaColher

Com o slogan “A melhor arma contra o feminicídio é a colher”, o movimento busca incentivar a denúncia como ferramenta de prevenção. Assista ao vídeo da campanha: bit.ly/2HpLsZX.

Provid

Policiamento especializado para atendimento às mulheres por meio do Programa de Prevenção Orientada à Violência Doméstica (Provid). O trabalho ajuda a prevenir, inibir e interromper o ciclo da violência doméstica. As vítimas podem entrar em contato por meio do 190.

Aplicativo Viva Flor

Destinado às mulheres com medida protetiva de urgência, encaminhadas pelo Judiciário. Ao acionar o aplicativo, ele emite um chamado de forma prioritária na tela do computador do despachante do Centro de Operações da Polícia Militar do Distrito Federal (Copom). Uma equipe da PM é enviada imediatamente para o local. No DF, 96 mulheres já usaram o sistema e, 80 permanecem com o aplicativo ativo.

Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas)

É uma unidade pública de assistência social que atende as pessoas e famílias (crianças, adolescentes, jovens, adultos, idosos, mulheres) que estão vivendo situações de violência ou violação de direitos. No DF, são 10 unidades, além do Creas da Diversidade. Endereços e telefones no link: bit.ly/3kuno6Q.

Subsecretaria de Proteção às Vítimas de Violência (Pró-vítima)

Telefone: 2104-4289

Disque 100

É um serviço de proteção de crianças e adolescentes com foco em violência sexual e violação de direitos de toda a população, especialmente os grupos sociais vulneráveis.

Central de Atendimento à Mulher
Telefones: 180 (nacional) e 156, Opção 6 (Distrito Federal)

Centros Especializados de Atendimento à Mulher (Ceam)
Ofertam acolhimento e acompanhamento interdisciplinar (social, psicológico, pedagógico e de orientação jurídica) às mulheres em situações de violência de gênero. Informações e telefones: bit.ly/35rrpCJ.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE