Privatização

Distritais de oposição reagem a leilão da CEB

Parlamentares dizem que decisão da justiça deve ser respeitada e processo de venda aprovado pela Câmara Legislativa

Washington Luiz
postado em 04/12/2020 12:34
 (crédito: Minervino J?nior/CB/D.A Press             )
(crédito: Minervino J?nior/CB/D.A Press )

Distritais que fazem oposição ao governador Ibaneis Rocha (MDB) na Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) classificaram o leilão da Companhia Energética de Brasília (CEB) como ilegal. Em nota, os parlamentares argumentam que o governo não deveria ter dado continuidade ao processo, uma vez que uma decisão liminar do Tribunal de Justiça do DF expedida na noite dessa quinta-feira (03/12) determinou a necessidade de aprovação da CLDF para concretizar a privatização da CEB Distribuição.

“É lamentável que o governo desrespeite uma decisão e conduza um leilão de venda de forma absolutamente ilegal! Não toleraremos esse desrespeito à harmonia dos poderes e à democracia no âmbito distrital. A CEB é uma empresa da população do DF e a deliberação do poder legislativo local é imprescindível. O leilão ilegal deve ser imediatamente anulado e a liminar do TJDFT deve ser respeitada”, dizem os deputados em nota.

O texto foi assinado por Fábio Felix (PSOL), Arlete Sampaio (PT), Reginaldo Veras (PDT), Chico Vigilante (PT) e Leandro Grass (Rede).

A venda da CEB ocorreu na manhã desta sexta-feira (4/12), na Bolsa de Valores de São Paulo. A vencedora foi a Bahia Geração de Energia, do grupo Neoenergia, por R$ 2,515 bilhões, um ágio de 76,63% em relação ao valor inicial de R$ 1,4 bilhão.

Houve concorrência com a CPFL Comercialização de Energia Cone Sul, que chegou a oferecer R$ 2,508 bilhões. A Equatorial Participações e Investimentos apresentou apenas o lance inicial de R$ 1,4 bilhão.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE