PANDEMIA

Novas medidas de enfrentamento

Ana Clara Avendaño*
postado em 15/12/2020 22:20

Diante dos impactos negativos da pandemia da covid-19 no Distrito Federal e do aumento recente do número de casos da doença, o governador Ibaneis Rocha (MDB) enviou, ontem, à Câmara Legislativa uma proposta de decreto para prorrogar o estado de calamidade pública na capital federal até 30 de junho de 2021. O Legislativo local aprovou a matéria, com 18 votos favoráveis. O deputado Leandro Grass (Rede) se absteve.

A aprovação saiu no dia em que a Secretaria de Saúde (SES-DF) registrou mais 737 casos da covid-19, além de 15 mortes. No total, há 240.869 infecções confirmadas pela pasta, sendo que 4.095 pessoas perderam a vida por causa da doença. Com o aumento da contaminação pelo novo coronavírus, o secretário de Saúde, Osnei Okumoto, assinou uma portaria para instituir uma comissão que ficará responsável por remobilizar e desmobilizar leitos para atendimento desses pacientes. O texto da portaria que trata do assunto, publicado no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) de ontem, prevê que a junta se reúna semanalmente para definir a distribuição das vagas.

Outra ação da SES-DF, anunciada ontem, estabelece a criação de um serviço de reabilitação para pacientes após a recuperação da covid-19. O atendimento será no Hospital de Base. A iniciativa destina-se a pessoas que tiveram quadro grave da doença e ficaram com sequelas. Haverá 15 leitos de enfermaria exclusivos para tratamento, com equipes de saúde multidisciplinares. Terão acesso pessoas internadas em alguma das unidades de saúde da rede pública do DF ou encaminhadas pelo Complexo Regulador da Secretaria de Saúde, com indicação médica que recomende a continuidade da assistência para reabilitação. Em novembro, o Hospital Regional de Ceilândia (HRC) passou a contar com um “ambulatório de egressos” para a mesma finalidade.

Como forma de dar seguimento ao combate à pandemia no setor de transporte coletivo, a Federação das Empresas de Transportes Rodoviários do Centro-Oeste do Brasil (Fetrasul) lançou, ontem, o Protocolo Transporte Seguro. O documento consolida 15 medidas de prevenção contra a covid-19. Das cinco empresas de ônibus que atuam na capital federal, apenas a viação Urbi e a Piracicabana aderiram à iniciativa. A Fetrasul reforça, contudo, que os passageiros também devem colaborar, cumprindo as medidas de proteção pessoal — como uso de máscara e de álcool em gel.

* Estagiária sob supervisão de Jéssica Eufrásio

» Colaboraram Darcianne Diogo e Samara Schwingel

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE