Obras

Com investimento de R$ 1,1 milhão, sete feiras do DF são reformadas

As obras ocorreram nas feiras da Candangolândia, do Riacho Fundo, do Riacho Fundo II, do Galpãozinho (Gama), da M Norte (Taguatinga), Guará e do Núcleo Bandeirante

Correio Braziliense
postado em 20/12/2020 13:52
 (crédito: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília)
(crédito: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília)

O Governo do Distrito Federal (GDF) reformou sete feiras permanentes por meio do programa Feira Legal. O investimento nas obras foi de R$ 1,1 milhão, para os serviços como drenagem de águas da chuva, troca da parte elétrica, novos alambrados, pintura e conserto de telhados.

Os trabalhos, conduzidos pela Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) em parceria com a Secretaria de Governo (Segov-DF), chegaram às feiras da Candangolândia, do Riacho Fundo, do Riacho Fundo II, do Galpãozinho (Gama), da M Norte (Taguatinga) e do Núcleo Bandeirante. A Feira Permanente do Guará, a pedido do próprio governador Ibaneis Rocha (MDB), também passou por serviços pontuais no telhado. As 38 feiras permanentes do DF integram o projeto e todas receberão os serviços programados pelo Feira Legal até o fim de 2022.

Fundada há 20 anos, a Feira Permanente da Candangolândia recebe melhorias, como construção de calçadas amplas e acessíveis e de novas vagas de estacionamento, reparos e elevação da estrutura do telhado, além de ampliação da rede de drenagem. São 95 boxes com os mais variados tipos de produto vendidos no local.

O diretor-presidente da Novacap, Fernando Leite, ressalta os bons resultados acarretados pela execução das obras. “Após as revitalizações, esses locais estarão limpos, organizados e com a mesma variedade e receptividade de sempre”, avalia. A companhia está responsável pelas obras de reforço e remodelação de infraestrutura nas feiras.

Segurança

Além das reformas estruturais, o Feira Legal também atua na regularização dos feirantes por meio da Segov-DF. Um sistema de cadastramento on-line já está em funcionamento e facilita a atualização das permissões de funcionamento, que deve ocorrer anualmente. De acordo com a pasta, o DF possui atualmente cerca de 20 mil feirantes registrados.

Funcionamento

O subsecretário de Mobiliário Urbano da Secretaria Executiva das Cidades, Alexandre Yanez, explica a importância de regulamentar o trabalho dos comerciantes. “Todos querem o seu documento pra trabalhar de forma correta e tranquila, sem dor de cabeça com fiscalização. Exercer sua cidadania com dignidade, poder pegar um empréstimo em um banco, mostrar para o fornecedor que está regularizado. É importante dar essa segurança jurídica para os feirantes”, afirma.

Reforço

Além dos esforços concentrados nas reformas estruturais das feiras permanentes e na regularização dos feirantes, o GDF também atua para auxiliar na retomada econômica desses pontos de comércio, atingidos pela pandemia de covid-19.

Em Ceilândia, uma ordem de serviço autorizou a abertura das feiras permanentes e do shopping popular local de segunda a segunda.

Com informações da Agência Brasília

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE