Crime

Irmãs são assassinadas a tiros dentro de casa em Cristalina (GO)

As vítimas são Maria Gonçalves, de 28 anos, e Cleide Aparecida Gomes, 34. O principal suspeito de ter cometido o crime é o ex-companheiro de Maria, Gisleno Xavier Souza

Darcianne Diogo
postado em 21/12/2020 20:48 / atualizado em 21/12/2020 20:49
 (crédito: Material cedido ao Correio)
(crédito: Material cedido ao Correio)

Duas irmãs foram assassinadas dentro de casa, no bairro Marajó, em Cristalina (GO), a poucas horas de São Sebastião, no Distrito Federal, na madrugada de domingo (20/12). As vítimas são Maria Gonçalves, 28 anos, e Cleide Aparecida Gomes, 34. O principal suspeito de ter cometido o crime é o ex-companheiro de Maria, Gisleno Xavier Souza que, segundo relataram familiares, não aceitava o fim do relacionamento. O homem está foragido.

Maria mantinha união estável com Gisleno havia cerca de sete anos. Parentes contaram ao Correio que a relação do casal era conturbada e marcada por brigas. Um dia antes do crime, no sábado (19/12), a vítima e o autor discutiram e Maria decidiu que sairia de casa e passar um tempo na casa da irmã Cleide, que mora a poucos metros dela. “Depois disso, ele começou a ameaçá-la, dizendo que iria matá-la”, contou, ao Correio, um dos primos das irmãs, que preferiu não revelar a identidade.

Gisleno Xavier Souza está foragido
Gisleno Xavier Souza está foragido (foto: Material cedido ao Correio)

Ainda na noite de sábado, Maria, Cleide e os filhos foram a uma festa de aniversário infantil na mesma região, na casa da outra irmã, identificada como Rose. O primo relata que, após o término do evento, por volta das 23h, Cleide demonstrou preocupação e desabafou às irmãs o medo que sentia de Gisleno machucá-la. “Quando elas estavam indo embora, a Rose pediu para que as duas passassem a noite lá, para evitar qualquer perigo. Mas a Maria achou que o marido não teria coragem de aparecer na casa da Cleide e rejeitou o pedido”, detalhou.

O crime

Cleide também é casada e tem três filhos. Na noite do crime, o marido dela estava viajando a trabalho para São Paulo e os filhos dormiram na casa de Rose. Maria estava com as três crianças. Os parentes contam que, por volta das 2h de domingo, Gisleno pulou o muro da residência, arrebentou a porta e efetuou um disparo de arma de fogo contra a mulher. Cleide, ao tentar se defender, levantou uma das mãos, mas a bala atingiu o peito. Ela também morreu.

“As crianças estão muito abaladas. A filha mais velha da Maria, de 7 anos, dormia com ela no mesmo colchão e viu a mãe ser assassinada. Ela não para de falar que tentou proteger a mãe. Isso dói muito. A única coisa que queremos é justiça”, frisou o familiar.

Não se sabe, no entanto, se o crime é apurado pela delegacia de Cristalina como duplo feminicídio. Procurada pela reportagem, a Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO) informou, por meio de nota oficial, que “acerca dos homicídios ocorridos no distrito de Marajó na cidade de Cristalina (GO), a autoridade policial esteve no local do crime e iniciou imediatamente a investigação. Por se tratar de procedimento sigiloso, não serão fornecidas mais informações”.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE