Previsões

Tarô de 2021: brasilienses devem se manter cuidadosos neste início de ano

Segundo a taróloga Estrela Hope, cartas mostram que chegada da vacina contra a covid-19 ainda deve levar alguns meses

Victória Olímpio
postado em 01/01/2021 07:00
 (crédito: Divulgação/Estela Monteiro)
(crédito: Divulgação/Estela Monteiro)

Apesar de muito desejada, a vacina contra a covid-19 deve demorar para chegar até o brasiliense. A previsão é de Estela Monteiro, cartomante holística conhecida como Estrela Hope. A pedido do Correio, a taróloga fez algumas tiragens com orientações para o cenário da pandemia no Distrito Federal em 2021.

"Não vejo a vacina chegando nos primeiros meses aqui no DF, ou, pelo menos, demorando para ser aplicada ou para demonstrar algum resultado", afirma Estrela, baseada no que leu nas cartas. Segundo ela, esse quadro é motivado, aparentemente, por disputas de poder.

"Vejo uma briga entre duas personalidades. Uma dessas pessoas é alguém muito interessado em realmente trabalhar para que as coisas aconteçam, no sentido material, no sentido de ir atrás de negociações e fechar contratos. Mas existe também uma outra personalidade muito egocêntrica, fria e que vai barrar esse processo. Vejo uma briga entre duas entidades", pontua.

Ao tirar as cartas, Estrela conta que viu um processo confuso em torno da vacina, que caminha para um impasse que não será resolvido prontamente. "Ou a gente consegue alguma vacina que chegue aqui no DF, mas que seja barrada, por não ser valorizada, ou alguma outra solução, talvez relacionada ao SUS, mas que vai acabar sendo deixada de lado", interpreta.

Diante de tal cenário, o brasiliense deve apostar na paciência e autocuidado. "O jogo faz uma provocação para que a gente busque nossa autonomia nesse processo, busque se manter saudável. Autorresponsabilidade, tomando os cuidados necessários para passar por esse período que ainda existirá de pandemia. Busca por bem-estar social, vencendo nosso ego e nossas convicções mesquinhas."

Por fim, ela apela para que as pessoas continuem atentas à prevenção. "É preciso tomar muito cuidado com a nossa sensação de insatisfação, porque essa insatisfação pode nos levar a buscar um convívio social mais intenso. Precisamos ter paciência, porque as coisas vão continuar estagnadas por um tempo, com relação a essa questão."

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE